Linguagem do Barroco

O Barroco foi um grande movimento artístico que se espalhou pela escultura, pintura, arquitetura e literatura. Confira a linguagem do Barroco!


O Barroco foi um movimento artístico que ocorreu no final do século XVI, primeiramente na Itália. O movimento é considerado o sucessor natural do Renascimento e é marcado pelo esplendor e exuberância.

Dessa forma, o Barroco se espalhou pela Europa e pelas Américas, influenciando não somente as artes plásticas, como também a literatura. Para conhecer a linguagem do barroco, confira!

Características do Barroco

A linguagem do Barroco segue a inquietação do homem na dualidade da alma e do corpo, da razão e da fé.

Assim, a literatura incorpora os elementos dessa crise da brevidade da vida, tendo como frase comum a expressão carpe diem, que significa “aproveite o dia” ou “curta o momento”.

Nesse sentido, as principais características do Barroco são:

A fugacidade

A fugacidade é a crença de que tudo na vida é passageiro. Assim sendo, os autores barrocos acreditam que tudo está em constante transformação.

O pessimismo

Como o foco da discussão artística é a brevidade da existência e inevitabilidade da morte, naturalmente, o Barroco possui um tom pessimista.

O feísmo

No Barroco, cenas trágicas eram admiradas como sendo parte da vida. Por essa razão, as cenas eram exageradas, com deformações e riqueza de detalhes, demonstrando uma valorização do “feio”, de um ponto de vista artístico.

O cultismo

O uso de termos rebuscados, linguagem culta e jogos de palavras eram comuns nesse movimento literário.

O conceptismo

Já o conceptismo preza pelo raciocínio e clareza de ideias. Portanto, a forma de escrita tinha como objetivo persuadir pelo intelecto.

Figuras de linguagem do Barroco

Os autores barrocos utilizam das figuras de linguagem para enriquecer o texto e chamar a atenção dos autores. Com o profundo dilema existencial, o exagero e o simbólico são elementos muito presentes na literatura.

Confira as figuras de linguagem do Barroco, suas características e exemplos literários:

Metáfora

Utilização de palavras para realizar comparações.

Eu sou, Senhor, a ovelha desgarrada […].
(Gregório de Matos)

Antítese

O autor estabelece diferenças entre elementos do texto.

Vista por fora é pouco apetecida
Porque aos olhos por feia é parecida;
Porém, dentro habitada
É muito bela, muito desejada,
É como a concha tosca e deslustrosa,
Que dentro cria a pérola formosa.

(Manoel Botelho de Oliveira)

Prosopopeia

Figura de linguagem em que é atribuído sentimento aos seres inanimados ou animais, como a personificação.

No diamante agradou-me o forte, no cedro o incorruptível, na águia o sublime, no Leão o generoso, no Sol o excesso de Luz.
(Padre Antônio Vieira)

Paradoxo

A junção de ideias contrárias em um pensamento.

Ardor em firme Coração nascido;
pranto por belos olhos derramado;
incêndio em mares de água disfarçado;
rio de neve em fogo convertido.
(Gregório de Matos)

Hipérbole

Uso de expressões exageradas.

Romperam-se enfim as cataratas do céu.
(Padre Antônio Vieira)

Anacoluto

Quebra da ordem lógica da frase.

As Délficas irmãs chamar não quero.
(Bento Teixeira)

Barroco no Brasil

O Barroco foi introduzido no Brasil no final do século XVII, sendo difundido na pintura, arquitetura, escultura e literatura. O início do movimento foi marcado pela obra Prosopopeia, escrita por Bento Teixeira, em 1601.

Os principais autores brasileiros barrocos são:

  • Bento Teixeira (1561-1618)
  • Gregório de Matos (1633-1696)
  • Manuel Botelho de Oliveira (1636-1711)
  • Frei Vicente de Salvador (1564-1636)

Leia também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More