Martin Luther King

Conheça a história do pastor e ativista norte-americano que inspirou revoluções no mundo inteiro.

0

Quem foi Martin Luther KingPastor e ativista norte-americano, Martin Luther King (1929-1968) lutou contra a discriminação racial e se tornou um dos mais importantes líderes dos movimentos pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos.

Fruto de suas lutas e reivindicações, recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1964.

Biografia de Martin Luther King

Nascido em Atlanta, Geórgia, nos Estados Unidos (EUA), no dia 15 de janeiro de 1929, decidiu seguir o mesmo caminho pastoral que seu pai e avô. Por isso, se graduou em em Teologia (1951) na Universidade de Boston, e foi convertido em pastor em 1954, se tornando apto a assumir a função.

A primeira igreja que liderou foi uma batista, na cidade de Montgomery, no Alabama. 

Luther King foi assassinado aos 39 anos, em 4 de abril de 1968, em Memphis, no Tennenssee . Entretanto, o legado de sua luta perpetuou e se expandiu a ponto de se tornar fator determinante ao fim do Apartheid na África do Sul. Além disso, colaborou para a eleição do primeiro presidente negro dos Estados Unidos, Barack Obama

Ideais

Antes de se tornar pastor, King era cético em relação a diversos aspectos do cristianismo, especialmente ao se referir aos modos que as religiões abordavam Jesus.

Entretanto, por acreditar piamente que o compromisso com Deus melhoraria a humanidade e o mundo em que habitavam, tratou sua fé como uma espécie de chamado para servir. Assim, se tornou ativista pelos direitos daquilo que acreditava. 

Em especial, Martin Luther King lutou em prol da defesa dos direitos sociais e contra o preconceito e o racismo. Acreditava e pregava que a luta pacífica e fundada no amor ao próximo seria a única forma de construir um mundo melhor, baseado na igualdade de direitos em todas as esferas. 

Por sua atuação social, King despertou a fúria daqueles que pregavam a segregação social nos Estados Unidos. Por isso, durante grande parte de sua vida, foi vítima de diversas ameaças e morte e violência.

Entretanto, nadar contra a corrente foi fundamental para que mudanças fossem realizadas. Uma a uma, as leis segregacionistas que prevaleciam no país durante a década de 1950 foram caindo, o que gradualmente abriu espaço para o alcance da sociedade igualitária tão sonhada por Luther King. 

Martin Luther King

Independente de quais fossem as propostas de ação adotadas por King, de manifestações a boicotes, todas eram baseadas na não violência e desobediência civil. Em especial, seu modo de agir era baseado nos ensinamentos pregados por Mahatma Gandhi

Quando se refere a luta do movimento negro encabeçada por Martin Luther King, as principais ações foram o boicote à segregação racial. A ação mais notável foi contra empresas de transporte coletivo do Alabama (1950), na cidade de Montgomery, que exigiam a separação de brancos e negros nos assentos dos ônibus. No fim, a Suprema Corte Americana acatou as reivindicações de King e colocou fim às discriminações dentro dos ônibus. 

Luther King também organizou a Campanha dos Pobres (1968), em prol da igualdade social e econômica, além de ter liderado diversas outras marcas de protesto e manifestações pacíficas contra o preconceito. 

A forma de atuação pacífica de Luther King contrastava com a de outros grupos que agiam nos EUA. Em resumo, muitos grupos que lutavam contra a opressão e discriminação naquele contexto utilizavam de ações conflituosas e violentas contra o Estado e seus representantes. 

Luta por direitos civis para negros e mulheres

Apesar de ter adquirido consciência da segregação social e racial em que se inseriam os negros de seu país desde cedo, Martin Luther King só começou sua luta, de fato, em 1955.

Suas maiores inspirações foram a figura e os ensinamentos de Mahatma Gandhi e a teoria da desobediência civil de Henry David Thoreau – que não coincidentemente também inspiraram Nelson Mandela a lutar contra o Apartheid, na África do Sul. 

O acontecimento que serviu como estopim de sua luta foi o caso de Rosa Parks (1955), costureira negra que foi presa e multada por ocupar um assento de ônibus que era reservado a pessoas brancas. Rosa Parks começou um protesto silencioso que se espalhou de forma rápida, especialmente após ter o apoio público do Conselho Político Feminino, por meio de boicotes ao transporte público. 

Ao encontrar legitimidade naquelas formas de protesto, King apoiou a ação. Assim, gradualmente, milhares de negros também aderiram ao boicote e, pouco a pouco, o ônibus deu lugar à caminhada.

Esse protesto durou cerca de 382 dias e só teve fim quando a Suprema Corte Americana determinou fim a segregação racial existente nos ônibus da cidade. Para celebrar a vitória, no dia 21 de dezembro de 1956,  Martin Luther King e Glen Smiley, um sacerdote branco, entraram e ocuparam juntos um assento localizado na primeira fileira de um ônibus. 

Luther King também fundou a Conferência da Liderança Cristã do Sul (1957) e se tornou seu primeiro presidente. Ocupando esse cargo, organizava campanhas públicas em prol da defesa dos direitos civis e sociais dos negros. Como fruto dessas lutas, em 1960, conseguiu que os parques públicos, bibliotecas e outros ambientes de lazer liberassem acesso para os negros. 

Uma de suas ações mais marcantes foi o discurso intitulado “I have a dream” ou, em português, “Eu tenho um sonho”, que realizou durante a Marcha sobre Washington. Essa marcha foi convocada por Luther King, e reuniu cerca de 250 mil pessoas em prol de melhor convivência entre brancos e negros. 

Discurso de Martin Luther King
Martin Luther King durante a Marcha sobre Washington, onde fez o célebre discurso “I have a dream”.

Frases marcantes de Martin Luther King

Quase sempre minorias criativas e dedicadas transformam o mundo num lugar melhor.

Pouca coisa é necessária para transformar inteiramente uma vida: amor no coração e sorriso nos lábios.

Se um homem não descobriu algo por que morrer, ele não está preparado para viver.

Sonho com o dia em que a justiça correrá como água e a retidão como um caudaloso rio.

No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos.

Eu tenho um sonho. O sonho de ver meus filhos julgados por sua personalidade, não pela cor de sua pele.

O ser humano deve desenvolver, para todos os seus conflitos, um método que rejeite a vingança, a agressão e a retaliação. A base para esse tipo de método é o amor.

A Verdadeira paz somente não é a falta de tensão, é a presença de justiça.

Temos de aprender a viver todos como irmãos ou morreremos todos como loucos.

Nada no mundo é mais perigoso que a ignorância sincera e a estupidez conscienciosa.

O Amor é a única força capaz de transformar um inimigo num amigo.

Uma das coisas importantes da não violência é que não busca destruir a pessoa, mas transformá-la.

Prêmio Nobel

Com 35 anos, em 1964, Martin Luther King se tornou o mais jovem a ser agraciado com o prêmio Nobel da Paz, em razão de seus feitios em prol do fim da segregação racial e social. 

 Você também pode se interessar: Você sabe o que foi o Apartheid, na África do Sul?

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.