Quem foi Martin Luther King?

Martin Luther King foi um dos grandes nomes da luta contra a discriminação racial. Seu ativismo foi um fator determinante para o fim do Apartheid.

Martin Luther King Jr. foi um dos principais nomes da luta contra a discriminação racial nos Estados Unidos. Como ativista político, ele batalhava a favor de salários dignos e mais empregos para os negros.

Martin, assim como seu pai, decidiu seguir como pastor da Igreja Batista. Após seus estudos teológicos, ele pastoreou em uma igreja na cidade de Montgomery, no estado de Alabama, nos Estados Unidos.

O líder foi morto no dia 4 de abril de 1968, em Memphis, enquanto estava se preparando para mais uma marcha civil.

Luta pelo reconhecimento dos negros

O ativista norte-americano foi um dos mais importantes líderes das movimentações pelos direitos civis dos negros. Desde jovem, ele tinha a consciência da situação de segregação social em que viviam, principalmente no sul do país.

Martin Luther King discursando
Martin Luther King em um discurso.

Sua luta pelo reconhecimento dos direitos civis dos negros norte-americanos iniciou em 1955. Ele se inspirou na figura de Mahatma Gandhi e na teoria da desobediência civil de Henry David. Essa foi a mesma luta que inspirou Nelson Mandela, na África do Sul.

Em defesa de Rosa Parks

Um exemplo de suas lutas foi o protesto em favor da costureira negra, Rosa Parks. No dia 1 de dezembro de 1955, ela foi detida e multada por ocupar um assento no ônibus reservado para pessoas brancas.

Na época, em Montgomey, os motoristas de ônibus deveriam ser brancos. Além disso, os negros só poderiam ocupar os últimos lugares do transporte.

Martin Luther King e Glenn Smiley
Martin Luther King e Glenn Smiley

Como medida de protesto, o Conselho Político Feminino organizou um boicote aos ônibus urbanos, e Martin Luther King ofereceu apoio. Então, milhares de negros deixaram de utilizar os ônibus e passaram a ir caminhando ao trabalho, causando prejuízos à empresa de transporte.

O protesto durou 382 dias e só finalizou quando a Suprema Corte norte-americana aboliu a segregação racial nos ônibus de Montgomery. Esse foi o primeiro movimento do gênero vitorioso registrado em solo americano.

Em comemoração, no dia 21 de dezembro de 1956, Luther King e Glenn Smiley, um sacerdote branco, ocuparam juntos um assento localizado na primeira fileira do ônibus.

Eu tenho um sonho…

No dia 28 de agosto de 1963, o ativista discursou para mais de 250.000 pessoas, em Washington. Nesse discurso, ele expressou o seu desejo de ver os Estados Unidos sem segregação racial. Após um ano, ele ganhou um prêmio Nobel da Paz.

Confira um trecho do notável discurso I have a dream (“Eu tenho um sonho”), de Martin Luther King:

Eu tenho um sonho que um dia essa nação levantar-se-á e viverá o verdadeiro significado da sua crença: ‘Consideramos essas verdades como auto-evidentes que todos os homens são criados iguais’. Eu tenho um sonho que um dia, nas montanhas rubras da Geórgia, os filhos dos descendentes de escravos e os filhos dos descendentes de donos de escravos poderão sentar-se juntos à mesa da fraternidade.

Assassinato

Martin Luther King foi assassinado no dia 4 de abril de 1968, em Memphis, aos 39 anos. Sua luta se expandiu ao ponto de ser um fator determinante para o fim do Apartheid, na África do Sul.

Martin Luther King assassinado
Noticiário sobre o assassinato de Martin Luther King.

Veja também: 

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More