Entenda o que é TDAH e como ele pode afetar o processo de aprendizagem

Comportamentos hiperativos e desatenção podem ser sinais do distúrbio. Sintomas começam a se manifestar ainda na infância.

0

Muitas vezes, para descrever o comportamento de uma criança, utilizamos expressões e adjetivos como “ligada no 220”, “tem um bicho-carpinteiro”, “vivem no mundo da lua”, “não para quieta”, “estabanada” ou “avoada”, entre outras.

Em alguns casos, esses são apenas traços da personalidade de uma criança. Em outros, porém, eles podem ser sinais do TDAH. Mas até que ponto isso pode ser considerado normal e quando é um indício de algo mais sério?

A seguir, você confere o que é TDAH, seus sintomas e como ele afeta o processo de aprendizagem das crianças.

O que é o TDAH?

TDAH é a sigla para Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade. Trata-se de um distúrbio neurobiológico que começa a se manifestar ainda na infância. Como o nome sugere, é caracterizado pela falta de atenção, hiperatividade e impulsividade.

É mais comum entre crianças e adolescentes, afetando entre 3 e 8% da população nesta faixa etária. Em aproximadamente metade dos casos, o TDAH permanece durante toda a vida, ainda que de forma mais branda.

Embora seja reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), esse transtorno ainda é cercado de preconceitos. Isso ocorre porque muitas pessoas acreditam que seja falta de educação ou desinteresse proposital, o que não é o caso.

Causas do TDAH

Estudos indicam que fatores externos, tais como cultura, comportamento dos pais, criação e educação das crianças, não são causas do TDAH.

A causa mais frequente do TDAH está relacionada à genética. Nos portadores do transtorno, há uma alteração no funcionamento dos neurotransmissores, responsáveis por transmitir as informações entre os neurônios.

Desta forma, a conexão com a região frontal do cérebro, cuja função é controlar comportamentos, atenção, memória e a capacidade de organização e planejamento, fica prejudicada, dando origem ao transtorno.

Estudos indicam que fatores ambientais e biológicos também podem causar TDAH, como o consumo de nicotina e álcool na gravidez, peso baixo ao nascer, intoxicação por chumbo e anormalidades cerebrais.

Sintomas de TDAH

Os principais sintomas de TDAH são desatenção, inquietação motora, impulsividade e hiperatividade. Em geral, os meninos tendem a apresentar maior impulsividade e hiperatividade do que as meninas. Entretanto, a desatenção se manifesta igualmente em ambos os sexos.

Nos adultos, o TDAH gera dificuldades no cotidiano, principalmente no trabalho, devido a falhas na memória, inquietação e instabilidade. Pode ainda dar origem a problemas associados, como consumo excessivo de álcool e drogas, ansiedade e depressão.

TDAH e o aprendizado

Normalmente, os primeiros sinais do TDAH são percebidos na escola, quando raciocínio, concentração e memória passam a ser mais exploradas no processo de aprendizagem e as crianças com o transtorno podem apresentar notas baixas e problemas ao executar atividades.

Os sinais do TDAH que podem ser observados nos alunos são dificuldade de concentração em períodos prolongados, erros frequentes por falta de atenção, problemas de organização, perda de objetos, agitação excessiva, não se manter sentado por muito tempo, entre outros.

Além disso, crianças e adolescentes portadoras de TDAH podem apresentar dificuldades relacionadas à imposição de regras e limites, o que causa problemas de comportamento e interação com os colegas e professores.

Entretanto, é importante ressaltar que crianças com TDAH são tão criativas e inteligentes quanto as demais. As dificuldades são provocadas apenas pelo transtorno e, com o tratamento e método de ensino adequados, o desempenho escolar tende a melhorar.

Diagnóstico de TDAH

Por apresentar sintomas tão variados e semelhantes aos de outros transtornos, como autismo e dislexia, o diagnóstico de TDAH pode ser complicado.

Em geral, é possível identificar o TDAH quando a criança manifesta sintomas de desatenção e hiperatividade por períodos superiores a seis meses. Quanto a intensidade, o transtorno pode apresentar grau leve, moderado ou grave.

Já em relação aos tipos de sintomas que se manifestam, o TDAH pode ser classificado em três tipos: hiperativo, desatento ou combinado (quando o indivíduo apresenta sinais tanto de hiperatividade quanto de desatenção).

Tratamento de TDAH

Apesar de não ter cura, é possível conviver com o transtorno, proporcionando bem-estar e qualidade de vida para os pacientes.

O tratamento de TDAH consiste principalmente em apoio multidisciplinar com profissionais de várias áreas, como psicólogos, fonoaudiólogos e pedagogos.

Em alguns casos, o uso de medicamentos com efeito calmante é recomendado para minimizar os sintomas de hiperatividade e impulsividade.

Hábitos simples também podem aumentar a eficácia do tratamento, como praticar atividades físicas regularmente e manter uma alimentação saudável, reduzindo o consumo de açúcar e cafeína.

Leia também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.