Onças: Maiores felinos do mundo

Os felinos possuem características típicas dos mamíferos como a presença de glândulas mamárias.

0

As onças estão classificadas na classe Mammalia, sendo mamíferos da ordem Carnivora, ou seja, com hábitos carnívoros.

Também são da família Felidae, que tem animais conhecidos como felinos, podendo ir do gato doméstico ao leão.

Características das onças

Os felinos possuem características típicas dos mamíferos como a presença de glândulas mamárias. No caso das onças, elas são quadrúpedes, apresentam cinco dedos nas patas da frente e quatro nas patas de trás e possuem garras.

Esses animais possuem alguns sentidos apurados, eles têm uma ótima visão noturna, ótima audição e olfato, o que faz deles ótimos caçadores. As onças são muito velozes, elas têm centenas de músculos e conseguem manter o controle sobre todos eles.

Alimentação das onças

São animais carnívoros, possuem caninos muito desenvolvidos, adaptados para perfurar e rasgar carne. As onças consomem principalmente roedores, aves e, até mesmo, outros mamíferos, mas podem ter uma alimentação variada dependendo da disponibilidade.

Onça-pintada com caninos a mostra

Habitat

Os felinos podem habitar todos os continentes, com exceção da Antártida e Oceania. No entanto, as onças são distribuídas geograficamente pelo continentes americanos, sendo algumas espécies endêmicas de um local específico, ou seja, só ocorrem naquele local.

Onça-pintada

A onça-pintada, nome científico Panthera onca, é um dos felinos símbolo do Brasil. Ela é o maior felino encontrado nos continentes americanos, pode pesar mais de 130 quilos e medir mais de 2,5 metros de comprimento, sendo a fêmea um pouco menor.

Apesar de já ter sido encontrada em todos os continentes americanos, ela já é considerada extinta nos Estados Unidos. A maior incidência de onças-pintadas no Brasil ocorre no Pantanal mato-grossense, mas podem ser encontradas também na Mata Atlântica, Amazônia e Cerrado.

No Brasil, as onças são consideradas pelo IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e pela IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza) animais em extinção por causa da atividade ilegal de caça e destruição do seu habitat e, consequentemente, da diminuição de animais silvestres que lhe servem de alimento.

Como são mamíferos do topo da cadeia alimentar, a ocorrência delas mostra que a área tem um alto nível de preservação ambiental.

Onça-pintada

Elas têm a pelagem amarelo-dourado com manchas pretas, um diferencial dessa espécie que é esbelta e tem as pernas curtas. Podem ocorrer animais completamente negros, as chamadas onças-pretas, mas isso é apenas uma característica genética de pelagem, sendo animais da mesma espécie.

As onças são animais solitários e só costumam andar em dupla durante a época de reprodução. Os machos costumam abandonar as fêmeas antes do nascimentos dos filhotes, que costumam ser dois. A gestação dura pouco mais de 3 meses e o tempo de vida de um adulto pode chegar até 20 anos.

Onça-parda

A onça-parda, nome científico Puma concolortambém é conhecida como puma ou suçuarana. É um felino de ampla distribuição geográfica nas Américas, podendo sobreviver em áreas muito antropizadas, como as pastagens e plantações agrícolas.

Elas são o segundo maior felino das Américas, perdendo apenas para as onças-pintadas. Possuem mais de 1,5 metro de comprimento e podem pesar mais de 70 quilos. Possuem coloração marrom-avermelhada, mas têm a ponta da cauda preta, as laterais do focinho e a parte ventral da barriga brancas. As onças-pardas vivem, em média, 9 anos.

Essas onças também são animais solitários e têm hábitos noturnos, são predadoras oportunistas, mas se alimentam principalmente de veados e cervos. A gestação dessas onças dura 3 meses e podem gerar de 3 a 4 filhotes. Normalmente ocorre uma gestação a cada 2 anos.

As onças-pardas não estão na lista de animais em extinção da IUCN. Entretanto, pelas atividades de caça, elas não são encontradas há muitos anos em alguns locais. O gênero Puma possui muitas espécies distribuídas pelo continente Americano. No Brasil, são encontradas principalmente no Cerrado, Caatinga e Pantanal.

Em novembro de 2019, uma onça-parda foi fotografada pela primeira vez no Refúgio de Vida Silvestre Estadual da Serra da Estrela, uma unidade ecológica do Rio de Janeiro, região de Mata Atlântica. A foto foi divulgada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), responsável pela unidade ecológica, e demonstra que aquela unidade possui um ecossistema bem equilibrado.

Onça-parda encontrada em uma unidade ecológica do Rio de Janeiro em nov/2019.

Veja também:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.