Revolução Pernambucana (1817)

A Revolução Pernambucana foi uma revolta social, de caráter republicano e separatista.


O que foi a Revolução Pernambucana? Também conhecida como Revolução de 1817, a Revolução Pernambucana foi uma revolta social ocorrida na Capitania de Pernambuco, no ano de 1817, durante o período colonial.

De caráter republicano, este movimento separatista foi liderado pelas elites locais e contou com grande adesão popular no momento de sua deflagração.

O conflito ocorreu devido à insatisfação local frente às desigualdades sociais e ao controle de Portugal sobre a região.

Tal movimento se relacionou diretamente com as mudanças provocadas a partir da transferência da Coroa Portuguesa ao Brasil, em 1808.

Onde a Revolução Pernambucana ocorreu?

A Revolução Pernambucana ocorreu na região nordeste do país, na Capitania de Pernambuco. Hoje, compreende os atuais estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Alagoas e parte da Bahia.

Causas da da Revolução Pernambucana

As causas da Revolução Pernambucana se deram a partir de vários desdobramentos que vinham ocorrendo na Capitania de Pernambuco.

Os pernambucanos tinham uma tradição de luta desde a invasão holandesa no país, no século XVII, e da Guerra dos Mascates, no início do século XVIII.

A Capitania de Pernambuco, que se concentrava na atividade açucareira, contava com uma rica elite, que envolvia tanto os grandes senhores de escravos, quanto os comerciantes ricos.

Por possuir uma intensa atividade econômica, ela acabou se tornando uma das Capitanias que mais sofria com os impostos da Coroa.

A vinda da família real portuguesa provocou um descontentamento em todas as classes sociais, a população mais pobre tinha esperança de períodos prósperos.

Entretanto, ao contrário disso, o aumento dos impostos se tornou uma atividade corriqueira, pois a Coroa precisava de recursos para instalar a Corte no Rio de Janeiro. A situação agravou-se em 1816, quando uma seca afetou a produção tanto do açúcar quanto de alimentos.

Diante desse contexto, o estopim da Revolução Pernambucana se deu a partir da prisão de um grupo de militares que o governador julgou serem revoltosos.

Um dos militares matou o comandante do governador. A partir de então, um motim se espalhou por Recife, com ataques às autoridades portuguesas.

O governador se retira para o Rio de Janeiro sem tentar conter os revoltosos, que se viram detentores do poder.

Estabelecem um governo provisório, adotam o regime republicano e visam elaborar uma constituição. Buscaram receber o reconhecimento da separação de Portugal em Washington e Londres, porém sem sucesso.

Consequências da Revolução Pernambucana

Vendo-se enfraquecidos pelo não reconhecimento externo da independência da Capitania, os revoltosos não conseguiram resistir ao bloqueio marítimo e às tropas enviadas da Bahia.

Então, no dia 19 de abril, Recife foi reconquistado pela Coroa e como consequência, os rebeldes sofreram uma intensa perseguição.

Diversos líderes foram executados e cerca de 250 pessoas foram presas até serem anistiadas pelas Cortes portuguesas, em 1821.

Líderes da Revolução Pernambucana

Os principais líderes da Revolução Pernambucana foram: Domingos José Martins e o padre João Ribeiro.

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More