Caule – Órgãos vegetativos em plantas

Caule é o principal órgão de condução das plantas.

0

O caule é o órgão da planta que interliga folhas, raízes, flores e frutos, ele serve também de sustentação para a maioria dessas partes. Além disso, o caule é o principal órgão com função de condução de água e outras substâncias entre as folhas e as raízes da planta.

Geralmente, o crescimento do caule em altura eleva as folhas colocando-as em uma posição privilegiada para absorção de luz solar, aumentando assim a capacidade fotossintética da planta.

Os caules possuem tanto crescimento primário, em altura, quanto crescimento secundário, em espessura, através do felogênio e do câmbio vascular.

Você pode baixar um mapa mental sobre os meristemas, tecidos vegetais e como eles estão relacionados clicando aqui.

Funções do caule

  1. Suporte: É o órgão que sustenta folhas, flores e frutos (no caso das angiospermas);
  2. Condução: Órgão que distribui água, sais minerais e matéria orgânica para todas as partes da planta;
  3. Armazenamento: Alguns podem se adaptar para fazer reservas de substâncias como amido ou pigmentos.

Estrutura anatômica e desenvolvimento

Você já percebeu que quando uma árvore sofre algum dano no caule a 1 metro de distância do solo, por exemplo, essa cicatriz irá permanecer exatamente naquele lugar, mesmo que a planta esteja em desenvolvimento e cresça em altura?

Isso acontece porque o caule é originado de um meristema primário, o meristema apical caulinar também chamado de gema apical ou gema terminal. O que implica dizer que o crescimentos dos caules acontece sempre a partir do ápice e não da base, ou seja, são adicionadas novas células no ápice do órgão e os tecidos diferenciados não se movimentam mais.

O embrião das sementes é composto por um primórdio caulinar, um ou dois cotilédones e um meristema apical. Após a germinação, o caule começa a se desenvolver e são formadas novas folhas a partir do meristema apical caulinar.

Após o alongamento do caule, ocorre a diferenciação dele em nós e entrenós:

  • : Regiões que contém gemas axilares que são pequenas porções de células meristemáticas, elas darão origem a folhas e novos ramos.
  • Entrenó: É o espaço entre dois nós.
Partes do caule
Partes do caule

Anatomicamente é possível perceber que o caule em grande parte é composto de células dos tecidos de condução, principalmente em crescimento secundário.

Através do xilema e do floema, o caule faz um transporte eficiente de água e sais minerais das raízes para as folhas e, matéria orgânica produzida na fotossíntese das folhas para o restante da planta. 

Caule - anatomia do crescimento primário e secundário de Tilia sp.
Caule – Anatomia do crescimento primário e secundário de Tilia sp.

Tipos de caule

Os caules jovens possuem cloroplastos nas células da epiderme e, por isso, assim como as folhas, apresentam-se na cor verde e fazem fotossíntese.

Alguns tipos de caule podem permanecer verdes e fotossintéticos durante todo seu desenvolvimento. No entanto, essa característica é perdida na vida adulta de muitas plantas e o caule se torna lenhoso assumindo uma coloração em tons de marrom. 

Caules aéreos

Os caules aéreos são aqueles que vêm a nossa cabeça quando pensamos em caule, os mais diversificados e que estão acima do solo, podemos citar:

  • Troncos das árvores lenhosas;
  • Estipe das palmeiras;
  • Colmo oco como dos bambus e colmo preenchido como da cana-de-açúcar;
  • Haste das plantas herbáceas;
  • Cladódio dos cactos.

Caules subterrâneos

Os caules subterrâneos se desenvolvem dentro do solo, geralmente não possuem crescimento expressivo em comprimento, e sim em espessura, já que muitos possuem células especializadas em reservas de substâncias, estão entre eles:

  • Bulbos das cebolas;
  • Tubérculos como a batata-inglesa;
  • Rizomas como o gengibre.

Caules aquáticos

Esse tipo de caule pode viver completamente ou parcialmente submerso em água, geralmente apresentam tecido especializado em armazenamento de ar, o aerênquima.

Esse tecido auxilia na flutuação e na oxigenação dos tecidos dentro da água. Nesse caso podemos citar as plantas de aquário como a elódea e a cabomba.

Confira mais detalhes em: Tipos de caule

Adaptação dos caules

Espinhos

Os espinhos são ramos modificados em estruturas afiladas que não podem ser arrancadas do restante do caule, diferente dos acúleos presentes nas rosas que são uma especialização da epiderme.

Veja também:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.