Forseti, o anfitrião – O deus da justiça na mitologia nórdica

Forseti, conhecido como anfitrião, é o deus nórdico da justiça, meditação e conhecimento interior. Seus avós são Odin e Frigga, pais de Thor e Loki.

Você já ouviu falar de Forseti? Forseti, cujo nome significa o anfitrião, é o deus da justiça, da meditação e do conhecimento interior.

Com o significado de “presidente”, no islandês moderno, ele frequentemente exercia a função de juiz, buscando chegar a um resultado na disputa entre os deuses e deusas em Asgard, com o intuito de fazer o julgamento mais justo.

Assim ficou conhecido e lembrado, por seu senso de justiça e ser imparcial nas suas decisões.

Nas horas livres, Forseti também gostava de refletir, exercer a prática da meditação e manter a sua mente tranquila, uma habilidade bem sucedida por sua parte.

Família de Forseti

Fruto da união de Nana, uma deusa bondosa, e de Balder, deus da sabedoria e da justiça, veio ao mundo Forseti. A divindade possui em sua árvore genealógica, como avós, Odin e Frigga, pais de Thor e Loki.

Forseti e casa de luz

Dentro de Asgard, local onde vivem os deuses da mitologia nórdica, havia um palácio nomeado Glitnir, com a tradução de brilhante. Glitnir era o seu lar, tendo na estrutura um telhado prateado e pilares dourados. A casa era tão brilhante que irradiava luz, ainda que observada a uma distância considerável.

A representação de Forseti

Seja por meio das pinturas ou dos desenhos, a representação de Forseti é comum. Ele é simbolizado como um homem de porte atlético, com cabelos compridos, ondulados e loiros. A sua pele é avermelhada e como vestimenta usa uma túnica que cobre todo o seu corpo.

Os poderes de Forseti

Considerado uma divindade nórdica, filho de deuses poderosos, Forsetti detém atribuições que o caracterizam: justiça, meditação, conhecimento interior.

Na mitologia, ele nunca falhou em nenhum acordo. Argumentando por horas, sempre vencia e convencia os demais deuses pelo cansaço.

A mitologia nórdica

A mitologia nórdica, também conhecida como germânica, teve sua origem nas tribos germânicas setentrionais. As suas histórias foram transmitidas em forma de poesia e só depois foram transcritas nos Eddas e em demais livros.

Caracterizadas como um conjunto de lendas pré-cristãs de origem escandivana, comumente conhecida como viking, a mitologia nórdica nasceu em meados do século XIII e IX. Nesse período, deusas, deuses e símbolos se uniram com a intenção de explicar de que modo se deu a criação do mundo.

Para agrupar a lenda, o seu início deu-se a árvore Yggdrasil, na qual a história é contada com sabedoria.

Dentro dessa mitologia, os deuses podem se dividir em dois grupos:  os Aesir, vinculados ao caos e a guerra, e os Vanir, com ligação a natureza e a fertilidade. Os Aesir moram em Asgard e os Vanir habitam em Vanaheim.

Leia outros artigos da série:

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More