Hepatite

A hepatite é uma inflamação no fígado causada por vários fatores diferentes, vamos conhecê-la?

0

A hepatite é uma doença que causa uma inflamação no fígado que pode ser causada pela infecção de um vírus, pelo uso de drogas, excesso de bebidas alcoólicas ou em decorrência de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

Causas da hepatite

A maioria das hepatites são causadas por vírus, por isso são chamadas de hepatites virais. Elas são classificadas em tipos A, B, C, D e E.

A maioria das pessoas que morrem por hepatite no Brasil, cerca de 70% dos casos, possuíam hepatite C. A hepatite B é a segunda mais letal, cerca de 21% das pessoas que morrem de hepatite possuem esse tipo.

Sintomas de hepatite A, B e C

Na maioria dos casos a hepatite é uma doença silenciosa e assintomática. Mas quando os sintomas aparecem, eles podem ser diferentes de acordo com o tipo de hepatite que a pessoa apresenta.

  • Hepatite A e B: dores ou desconfortos abdominais, dores musculares, muita fadiga, náusea e vômito, falta de apetite, febre, urina escurecida, amarelamento progressivo de pele e branco dos olhos.
  • Hepatite C: nesse tipo de hepatite, além dos sintomas que são comuns na hepatite A e B, o paciente também apresenta coceira e sangramento no esôfago e no estômago.

Prevenção contra hepatite

A prevenção para as hepatites A, B e D pode ser feita por meio de vacina que está disponível gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

Para os outros tipos de hepatite não existem vacinas e os tratamentos devem ser indicados por médicos.

Transmissão de hepatite

As hepatites podem ser transmitidas de várias formas. Uma delas é pela falta de saneamento básico e tratamento de água, assim como pela falta de higiene pessoal e dos alimentos. Essas formas favorecem a contaminação por hepatites A e E.

O compartilhamento de objetos cortantes como seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e qualquer outro objeto que pode furar ou cortar a pele pode ser um fator de transmissão de hepatites do tipo B, C e D.

A transmissão de hepatites B, C e D também podem ocorrer durante a gravidez e parto, essa é a chamada transmissão vertical.

Nesses casos a amamentação pode ocorrer caso sejam feitas medidas preventivas com o recém-nascido, como a primeira dose da vacina e imunoglobulina nas primeiras horas de vida. Além disso, deve haver um comprometimento dos pais de levar o bebê para receber as próximas doses da vacina nas datas corretas.

Alguns tipos de hepatite também são considerados uma infecção sexualmente transmissível (IST), pois podem ser transmitidas em uma relação sexual sem proteção, por isso o uso do preservativo é imprescindível em todas as relações.

A transfusão de sangue e derivados também já foi uma forma de transmissão de hepatite comum no passado. Hoje, essa forma de contágio é rara, pois existe um controle mais eficiente com o doador e são feitos testes preliminares do sangue.

Tratamento de hepatite

O tratamento de hepatites é feito através de medicamentos e, em alguns casos, há a necessidade de internação hospitalar. No entanto, o tratamento de hepatite C possui mais de 95% de possibilidades de cura se for feito corretamente.

Para as hepatites B e D o tratamento e controle da doença podem não curar completamente, mas são importantes porque evitam que a doença evolua para casos mais graves como a cirrose e o câncer.

A hepatite A se apresenta como uma inflamação aguda e o tratamento mais adequado são o repouso e a adoção de uma dieta saudável e equilibrada. Nesses casos o paciente apresenta melhora em algumas semanas e adquire imunidade contra esse vírus, ou seja, ela não será acometida com uma nova infecção.

Hepatite A

A vacina para hepatite A está disponível para crianças entre 15 meses e 5 anos incompletos ou que:

  • Possuam hepatopatias crônicas incluindo as hepatites dos tipos B e C
  • Problemas de coagulação sanguínea
  • Portadoras do vírus HIV
  • Portadores de doenças imunossupressoras
  • Fibrose cística
  • Trissomias como a Síndrome de Down
  • Receptores e doadores de órgãos, além dos cadastrados em programas de transplantes
  • Portadores de hemoglobinopatias.

Hepatite B

A vacina para hepatite B é administrada em 4 doses: no nascimento, aos 2, 4 e 6 meses. Os adultos que, por algum motivo, não foram vacinados na infância devem tomar três doses da vacina.

As pessoas que possuem alguma doença imunodepressiva e que sejam portadoras do vírus HIV devem ser vacinadas com doses em dobro, em esquema especial determinado pelos Centros Imunobiológicos Especiais (CRIE).

Hepatite C

A hepatite C não possui uma vacina como forma de prevenção. A melhor forma de evitar o contágio é não ter contato com sangue contaminado, usar preservativo durante as relações sexuais, não compartilhar objetos cortantes, como barbeadores e seringas.

Apesar de não haver vacina, o tratamento da hepatite C com medicamentos é bastante eficaz, geralmente os pacientes são curados em mais de 95% dos casos.

Hepatite D

A hepatite D também é chamada de hepatite Delta, ela é causada por um vírus que depende da presença do vírus da hepatite B para infectar uma pessoa, ou seja, esses dois tipos geralmente estão associados.

A vacina para a hepatite B protege também contra a hepatite D, por isso, as formas de administração e cuidados com a hepatite D são comuns com a do tipo B.

Hepatite E

A hepatite E é mais comum na Ásia e África, mas também ocorre no Brasil. A transmissão desse tipo de hepatite E ocorre por meio de contato com indivíduos infectados ou com a ingestão de água e alimentos contaminados.

Por isso, a melhor prevenção contra a hepatite E é o saneamento básico, a higiene pessoal e de alimentos.

Hepatite alcoólica

A hepatite alcoólica é uma doença difícil de ser diagnosticada, ela é causada pelo uso excessivo e constante de bebidas alcoólicas que, com o tempo, causam inflamações no fígado.

Na maioria dos casos, a hepatite alcoólica tem cura, desde que a pessoa não faça mais a ingestão de bebidas alcoólicas. O tratamento é medicamentoso realizado pelo médico hepatologista.

Se não for tratado corretamente, esse tipo de hepatite pode evoluir para cirrose ou insuficiência hepática. Os sintomas são os mesmos dos outros tipos de hepatite e, geralmente, também envolve a perda de peso excessiva e sem causa aparente.

Hepatite medicamentosa

A hepatite medicamentosa é causada pelo uso prolongado de medicamentos que causam uma inflamação no fígado. Esse tipo de hepatite pode ser muito grave se não for tratado.

A toxicidade de muitos medicamentos faz com eles hajam diretamente nas células do fígado, podendo matá-las. Em alguns casos, a pessoa pode ter hipersensibilidade a algum componente da fórmula do medicamento e isso causar uma inflamação.

Esse tipo de hepatite não é contagioso, mas pode ser resolvida com a suspensão do medicamento que está causando o problema.

Hepatite tem cura?

Geralmente, a hepatite possui cura, como a hepatite C. Em outros casos, ela pode ser controlada e não causar nenhum dano ao indivíduo.

Veja também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.