História da Independência do Brasil para Educação Infantil

Às margens do Rio Ipiranga, foi feita a proclamação da independência do Brasil. Conheça a história de como aconteceu a independência do país.

0

A Independência do Brasil aconteceu no dia 7 de setembro de 1822. Neste dia, D. Pedro proclamou a independência do Brasil, tornando a colônia em uma Nação independente de Portugal.

Foi proclamada às margens do Rio Ipiranga, durante a volta de uma viagem de D. Pedro à São Paulo. Confira a história da Independência do Brasil para Educação Infantil.

Contexto histórico

Esse período estava marcado por grandes turbulências e insatisfações. Primeiro quando a família real veio pro Brasil, fugindo de Napoleão Bonaparte, o cenário da colônia portuguesa mudou completamente, com mudanças na estrutura para receber a corte.

O cenário econômico também se transformou, de forma que o Brasil passou a fazer comércio direto com a Inglaterra e a nobreza brasileira começou a ter mais poderes econômicos. O Brasil já não era mais colônia e sim Reino Unido de Portugal.

A volta da família real

A população de Portugal estava insatisfeita com a permanência da coroa no Brasil e com as liberdades econômicas que essa Nação estava adquirindo.

Então, em 1820, acontece a Revolução Liberal do Porto, em Lisboa. O povo português pede a volta da família real e que o Brasil seja rebaixado a condição de colônia.

Assim, a família portuguesa se vê obrigada a retornar para Portugal. Porém, D. João VI deixa seu filho D. Pedro como príncipe regente para governar o Brasil.

Governo do príncipe regente

Durante seu governo, o povo brasileiro passa a ficar insatisfeito, pois várias medidas são tomadas para continuar o domínio português.

Porém, o príncipe regente com orientação das elites locais, foi tomando decisões que favoreciam o Brasil, revertendo a situação, e começaram a desagradar as elites lusitanas.

Como aconteceu a independência do Brasil

Com a grande insatisfação de Portugal, D. Pedro recebe ordens para retornar a Lisboa em 1821.

Porém, sua esposa, Maria Leopoldina, o aconselha ficar no Brasil e cerca de 8 mil pessoas assinam um documento para que ele continue no Brasil. Então, ele decide ficar com o discurso de ser o melhor para a Nação.

Essa permanência no Brasil ficou marcada como “Dia do Fico”, desobedecendo as ordens de voltar a Portugal.

Pouco a pouco, vai se tornando mais notável, o possível rompimento do Brasil com Portugal.

D. Pedro cria o “Cumpra-se”, medida que estabelecia que nenhum decreto tomado pela corte em Portugal valeria aqui no Brasil, a menos que D. Pedro a  aprovasse.

O momento da independência

Independência do Brasil

Portugal fazia questão de manter o domínio sobre o Brasil e, assim, em 1822, mandam uma ordem para que D. Pedro volte imediatamente a Nação Europeia.

Porém, nesse momento D. Pedro estava em uma viagem a São Paulo e  Maria Leopoldina, a então princesa regente do Brasil, tornava-se responsável por tomar algumas decisões em sua ausência.

Assim, com receio das novas notícias vindas de Portugal, Maria Leopoldina decide assinar o decreto de Independência, declarando o Brasil independente de Portugal.

Após a assinatura, Maria Leopoldina manda uma carta a D. Pedro para que ele proclame a Independência do Brasil.

A carta chegou nas mãos de D. Pedro no dia 7 de setembro de 1822, quando o príncipe regente estava às margens do Rio Ipiranga e, então, foi proclamada a independência.

Nesse momento ficou conhecido o grito “Independência ou morte”, que foi dito no ato da proclamação, mas não há evidências históricas que confirmem este grito.

A partir desse momento o Brasil se tornou uma Nação independente de Portugal.

Entretanto, Portugal só reconheceu o Brasil como uma Nação após receber 2 milhões de libras em 1825.

Confira também:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.