Independência do Brasil – Quem proclamou “independência ou morte”?

Foi proclamada às margens do Rio Ipiranga, com o grito “independência ou morte”. Conheça quem foi responsável pela independência do Brasil.

0

Depois de mais de 300 anos de período colonial, a independência do Brasil ocorreu no dia 7 de setembro de 1822, durante uma viagem de D. Pedro I à São Paulo, quando o príncipe regente recebeu um decreto assinado por Maria Leopoldina, sua esposa, declarando o Brasil independente de Portugal.

Quem foi Dom Pedro I?

Dom Pedro I nasceu em 1798, filho do então Rei de Portugal, D. João VI, e da D. Carlota Joaquina.

O que foi o Dia do Fico?Seu nome completo era Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon.

Chegou ao Brasil aos 9 anos de idade, quando o país ainda era uma colônia. Em 29 de novembro de 1807, ele veio ao Brasil junto com a família real, que fugia de Napoleão Bonaparte, famoso imperador francês que tentava implantar o bloqueio continental nas Nações Europeias.

Ele assumiu o governo brasileiro aos 22 anos como Príncipe Regente e posteriormente se tornou o primeiro Imperador do Brasil, entre 1822 e 1831.

Contexto histórico

Enquanto a família real estava no Brasil, D. João VI, rei de Portugal, elevou o Brasil de Colônia a País Unido, proporcionando liberdade econômica e comercial para o Brasil. Assim, o cenário econômico brasileiro foi mudando para manter os padrões e qualidade para manter corte na América.

Em 1821, a família real volta para Portugal, pressionada pelo povo português, que realizava a Revolução Liberal dos Portos, pedindo a volta da corte. Nesta, a população pedia a volta da corte, uma nova constituição e o retorno do Brasil à condição de colônia. Com isso, a família real se vê obrigada a voltar para a Europa.

Porém, D. Pedro I fica no Brasil, desempenhando o papel de Príncipe Regente e realizando as ordens de Portugal na América.

Regência de D. Pedro I

Durante a regência de D. Pedro I, a nobreza brasileira estava cheia de insatisfações por todas as medidas vindas de Portugal que eram realizadas aqui no Brasil, como o aumento de impostos e as tentativas de voltar o Brasil à condição de colônia, o que impossibilitaria o Brasil de realizar comércio com outros países.

Em 1821, D. Pedro recebe uma ordem para que volte à Portugal imediatamente, mas durante uma Assembleia a população entrega uma petição com cerca de 8 mil assinaturas para que o príncipe regente ficasse no Brasil e sua esposa, Maria Leopoldina, também o encoraja a ficar.

Em decorrência disso, em 9 de janeiro de 1822,  D. Pedro I decide ficar quando declara “Como é para o bem de todos e para a felicidade geral da nação, estou pronto: Diga ao povo que vou ficar”. Esse momento ficou conhecido como Dia do Fico.

Quem proclamou a Independência do Brasil?

Portugal vai se desagradando com essa “desobediência” e com a situação que se encontra o Brasil. Então, em 28 de agosto de 1822, chega no Brasil uma ordem para que D. Pedro voltasse a Portugal imediatamente.

Porém, nesse momento D. Pedro I estava em uma viagem a São Paulo, tentando conter conflitos que ocorriam ali. Assim, Maria Leopoldina, esposa de D. Pedro e então princesa regente do Brasil, se tornava chefe do Conselho de Estado e Princesa Regente Interina.

Então, com a ausência de D. Pedro, Maria Leopoldina assina o decreto de Independência, declarando o Brasil independente de Portugal.

Após a assinatura, Maria Leopoldina manda uma carta a D. Pedro para que ele proclamasse a Independência do Brasil, que aconteceu no dia 7 de setembro de 1822, quando o príncipe regente estava às margens do Rio Ipiranga.

Nesse momento ficou conhecido o grito “Independência ou morte”, frase dita no ato da proclamação, mas não há evidências históricas que confirmem este grito.

A partir desse momento, o Brasil estava oficialmente independente de Portugal.

Confira também:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.