Adolf Hitler

Adolf Hitler é considerado o maior e o pior símbolo do nazismo. O líder do partido nazista estimulava o ódio e as ideias discriminatórias e segregatícias.

0

Quem foi Adolf Hitler? Para muitos, Hitler é visto como o maior vilão da história, sendo conhecido pela liderança no Partido Nazista.

Chanceler consagrado, ele iniciou a aplicação do programa nazista. Com sucessivos golpes, atos ilegais e assassinatos, inaugurou a sua ditadura.

Biografia de Adolf Hitler

O ditador alemão Adolf Hitler, filho de Alois Hitler e Klara Poezl, nasceu no dia 20 de abril de 1889.

Com a vontade de ser artista, Hitler tentou, em 1907, antes dos seus 20 anos, a candidatura à Academia de Belas Artes de Viena. Porém, no ano seguinte, o seu pleito foi recusado.

Ao passar grande parte do seu tempo com ocultistas e extremistas de ambos os lados da política, atribuíram a esse fator de convivência a influência na intelectualidade do ditador e no sentimento de ódio pela classe média, em especial, pelos de origem judaica.

Primeira Guerra Mundial

No início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), Hitler buscou adentrar o exército austríaco, porém foi recusado. Após isso, conseguiu entrar no exército alemão. Inclusive, subiu a patente de cabo e foi condecorado duas vezes com a Cruz de Ferro por sua bravura.

Contudo, depois da guerra, como tantos outros, não conseguiu arrumar emprego. A Alemanha vivia momentos difíceis e, em seu terreno, cresciam filosofias extremistas, do comunismo ao nacionalismo.

Partido Nazista

No período, Hitler se dirigiu a Munique e tornou-se associado do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, o Partido Nazista.

A crise de 1929 propiciou aos nazistas avanços políticos diante do infeliz eleitorado alemão. Com o tempo, passaram a ser vistos como um partido legítimo, e Hitler, como o bom orador que era, se destacou e passou a ser elogiado.

No ano de 1933, o Partido Nazista já tinha tanta força que o presidente Paul von Hindenburg (1847-1934) escolheu Adolf Hitler como chanceler do território alemão.

Logo, Hitler conseguiu depor Hindenburg e tomar conta do regime ditatorial da Alemanha.

Além disso, Hitler resolveu rearmar os militares alemães e reforçar os interesses no território europeu.

Segunda Guerra Mundial

No mês de março de 1938, Hitler tornou a Áustria parte componente da Alemanha e, um ano depois, invadiram a Checoslováquia.

Contudo, mesmo que a Inglaterra e a França sejam contrárias às ações alemãs, nada fizeram para impedir o conflito.

No dia 24 de agosto de 1939, a Alemanha firmou um pacto de não-agressão com a União Soviética. Porém, no primeiro dia de setembro, atacou a Polônia.

Ainda em setembro, no dia 3, Inglaterra e França manifestaram que a guerra já ocorria há dois dias. Estavam falando da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Na ocasião, os primeiros dois anos foram bem sucedidos para as forças militares alemãs. Entretanto, no começo de 1945, os alemães defendiam o seu terreno e, no dia 7 de maio, a guerra havia findado.

Entre 1939 a 1942, Hitler estava extremamente otimista. O seu plano era erguer um Império Germânico, ou Reich, na Europa, com anos de duração.

Para a concretização de seu sonho, implementou muitos crematórios para execução de judeus, negros, homossexuais, ciganos e todos aqueles que julgava “indesejáveis”.

De 1943 a 1945, o líder nazista passou a se sentir deprimido e a lidar com crenças ocultas. Não por acaso, no dia 30 de abril de 1945, o ditador foi encontrado morto junto a sua esposa, Eva Braun.

Eva Braun – Senhora Hitler

Eva Braun e Hitler
Hitler e Eva Braun

Eva Braun e Adolf Hitler viveram um romance de 14 anos. Porém, Hitler nunca a assumiu como esposa e nem sequer a apresentou publicamente, mas os amigos próximos tinham conhecimento da relação.

Amável, encantadora, linda, submissa e com tendência à autodestruição, esses eram os atributos da mulher que atraiu o líder nazista.

PUBLICIDADE

A família de Eva era burguesa. O pai funcionário da alta administração escolar de Munique, e ela exercia a função de secretária do fotógrafo de Hitler, Heinrich Hoffmann.

“Quando estavam juntos e chegavam visitas oficiais, Eva era obrigada a ficar trancada num aposento até que [a pessoa] se fosse”, relatou o camareiro de Hitler, Heinz Linge.

Eva era obcecada por Hitler e teve até ataques de ciúmes por sua causa.

No dia 15 de abril de 1945, Eva Braun se estabeleceu no bunker do nazista e no local permaneceu.

Depois de finalmente assinar o livro de casamento, ela teria dito a Linge: “Agora, finalmente, és obrigado a me chamar de senhora Hitler”.

Morte de Adolf Hitler

Muitas são as especulações e teorias da conspiração em torno da morte de Adolf Hitler.

De um lado há os que acreditam que o militar alemão e líder nazista tenha fugido em um submarino para a América do Sul no final da Segunda Guerra Mundial, em 1945.

Por outro lado, há os que creem que ele tenha se refugiado numa base escondida na Antártica.

Entretanto, a causa da morte do ditador foi desvendada recentemente por pesquisadores franceses. Hitler cometeu suicídio com uma ampola de cianureto e/ou um tiro na cabeça. Executado com uma amostra de dentes do ditador, o estudo está publicado no periódico científico European Journal of Internal Medicine

Morte de Hitler desvendada
Tweet do autor da pesquisa, Phillipe Charlier. Em tradução livre: “Hitler morreu mesmo em 1945, em Berlim. Seus restos [mortais] estão em Moscou. Leia aqui nossa análise biomédica definitiva: […]”.
Ainda que não houvesse uma versão definitiva do fato, muitos argumentavam que o nazista havia cometido suicídio junto com Eva Braun, sua parceira, em 30 de abril de 1945.

Depois de alguns dias do ocorrido, os soviéticos adentraram Berlim e a agência de inteligência do Exército Vermelho localizou e armazenou vestígios carbonizados do líder.

Mas, foi apenas no final de 2017 que o serviço secreto da Rússia (FSB) permitiu que os pesquisadores analisassem as sobras do ditador, atividade pioneira na história da humanidade.

Mein Kampf – Minha Luta

Minha luta, de Adolf Hitler
Uma das edições do livro “Minha luta”, de Adolf Hitler

Mein Kampf (Minha Luta) é o título do livro de autoria de Adolf Hitler, espaço em que ele expressou suas ideias antissemitas, anticomunistas, antimarxistas, racialistas, nacionalistas e da extrema direta, perspectivas adotas pelo Partido Nazista.

Algumas instituições são contrárias a venda da obra, por propagar pensamentos discriminatórios e continuar banalizando o mal.

Frases famosas de Adolf Hitler

Só lutamos por aquilo que amamos, só amamos aquilo que respeitamos e só respeitamos aquilo que conhecemos.

Torne a mentira grande, simplifique-a, continue afirmando-a, e eventualmente todos acreditarão nela.

As grandes massas cairão mais facilmente numa grande mentira do que numa mentirinha.

Toda propaganda tem que ser popular e acomodar-se à compreensão do menos inteligente dentre aqueles que pretende atingir.

Não se implora por direitos, se luta por eles.

Quando maior a mentira, maior é a chance de ela ser acreditada.

Uma mentira dita cem vezes, torna-se verdade um dia.

Não se pode viver verdadeiramente e desistir do que dá significado e propósito a uma vida inteira.

Temos de ser cruéis. Temos de recuperar a consciência tranquila para sermos cruéis.

Veja também: 

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.