Frigga – Deusa da fertilidade, amor e união na mitologia nórdica

Frigga era a deusa da fertilidade, amor e união. Além disso, era casada com Odin e mãe de Baldr e Hóder. A divindade ainda tinha a capacidade de prever o futuro.

0

A mitologia nórdica, também conhecida como germânica ou viking, se desenvolveu em países nórdicos (ou escandinavos). Suas histórias são compostas por anões, gigantes, deuses, lobos, feiticeiros, serpentes, heróis, entre outros.

Assim como outras mitologias, a nórdica se destaca e demonstra grande importância para a cultura desses povos. Além disso, atualmente, essas histórias inspiram quadrinhos, filmes, jogos, vídeos, dentre outros produtos.

Dentre os grandes nomes da mitologia nórdica, pode-se citar Frigg (ou Frigga), a deusa da fertilidade, amor e união. Ainda mais, protetora da família, das mães e das donas de casa.

Família de Frigga

Acredita-se que Frigga tenha sido filha da gigante Fjörgynn. Além disso, foi casada com Odin, o pai de todos. Juntos, eles tiveram dois filhos, que são: Baldr e Hóder. Existe a possibilidade de Frigga também ter sido mãe de Hermod, já que este é filho de Odin.

A deusa foi madrasta de Thor (deus do trovão), Vali (deus da vingança), Vidar (conhecido como deus silencioso, é o segundo deus nórdico mais poderoso, perdendo apenas para Thor), Bragi (deus da música e poesia) e Meili (não se tem muitas informações sobre o deus).

Sua irmã, Fulla (ou Volla), era deusa da abundância e da fertilidade. Ainda mais, era serva e confidente da deusa. Carregava a caixa mágica da irmã e cuidava de seus sapatos.

Representação de Frigga

A deusa Frigga é representada como uma mulher muito alta e bonita. Normalmente, enfeitava seus cabelos com plumas e em volta da cintura, colocava uma cinta dourada. Na peça, existiam chaves que simbolizavam as donas de casas da região, as protegidas de Frigga. Já as plumas, representavam as nuvens.

Muitas vezes, com a intensão de simbolizar o céu, Frigga era representada com um grande e belo casaco azul. Além disso, a lua cheia, a prata, entre outros símbolos, também fazem partes das representações da deusa.

Poderes de Frigga

Frigga tinha muitos poderes, como o dom de prever o futuro. Mas, por não serem visões exatas, ela guardava para si. Além disso, ela conseguia criar uma conexão entre amigos, podendo até mesmo transferir a dor de um para o outro.

A deusa ainda conseguia se transformar em diversas aves. Por fim, Frigga também tinha um dom de soberania natural. Com isso, todos a respeitavam e ela ainda podia  ganhar bastante influência para conquistar coisas cotidianas.

Servas de Frigga

Frigga tinha 20 servas. Destas, as três principais eram: Hlín (deusa da proteção), Gná (deusa dos mensageiros) e Fulla (sua irmã e deusa da fertilidade). Algumas teorias afirmam que essas três deusas eram apenas manifestações da própria Frigga. Suas funções eram:

Hlín: Era a encarregada de proteger alguém do perigo, caso solicitado por Frigga. Além disso, protegia os homens e ainda consolava os mortais apenados;

Fulla: Era a confidente de Frigga, que cuidava de seus sapatos e de sua caixa mágica;

Gná: Com um cavalo capaz de se mover no mundo inteiro, era responsável por cuidar dos assuntos de Frigga pelo planeta.

Curiosidades sobre Frigga

Confira algumas curiosidades sobre Frigga, a deusa da fertilidade na mitologia nórdica:

  • Frigga vestia um manto semelhante às nuvens. A peça trocava de cor segundo seu humor;
  • Além de Odin, Frigga era a única que podia sentar no Hlidskialf, trono onde era possível ver todo o universo;
  • A palavra Friday (sexta-feira em inglês) se originou de Friggs. Este seria um dia dedicado a ela, sendo então Frigg’s day, o dia de Frigga;
  • Frigga choraria duas vezes na vida. A primeira, foi por seu filho Balder. No futuro, ela chorará pela morte de Odin, que será consumido por um monstro durante a última batalha entre deuses e gigantes;
  • Apesar de ser esposa de Odin, Frigg não vive com o marido, pois reside em sua própria residência, conhecida como Fensali (o salão de névoa).

Frigga no cinema e nos quadrinhos

Em maio de 1963, Frigga foi encorporada pela primeira vez ao universo Marvel. Isso foi na edição 92 de Journey into Mistery.

Anos mais tarde, a deusa também foi representadas em filmes da Marvel, principalmente no segundo filme de Thor, onde foi assassinada por Malekith. Rene Russo interpretou Frigga. Frigga - Marvel

Leia mais sobre mitologia:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.