Alimentação na Pré-História

A alimentação na Pré-História é marcada pelo desenvolvimento das técnicas de obtenção de alimentos.


Os cientistas afirmam que nós, seres humanos, derivamos da espécie homo sapiens. No entanto, é importante ter em mente que, ao longo de milhões de anos, existiram várias espécies do gênero homo que se desenvolveram até desencadear a espécie dos humanos contemporâneos.

Uma parte considerável desses cientistas asseguram que um fator que contribuiu para a evolução dos seres humanos foi a adoção de uma alimentação baseada na proteína animal.

O ato de se alimentar com carne, durante a Pré-História, ocorreu por meio de um longo processo que resultou na criação de algumas capacidades que facilitavam a obtenção desse alimento.

Durante parte do período Paleolítico, os seres humanos se alimentavam basicamente de frutas, raízes e vegetais. Após algum tempo, o surgimento da caça e da pesca fizeram com que eles passassem a ingerir a proteína animal.

Além dessas novas atividades, os restos de animais deixados por outros predadores facilitavam o acesso à carne.

Pré-história
Pintura rupestre que indica uma cena de caça na Pré-História.

O pesquisador norte-americano Henry Bunn afirma que a capacidade de adquirir a carne e a forma de manusear os restos dos animais passaram por algumas modificações ao longo do Paleolítico.

Para ele, esse processo de alteração pode ser dividido em três etapas:

1ª etapa da alimentação na Pré-História

Essa primeira etapa corresponde a aproximadamente 2,6 e 2,5 milhões de anos atrás, quando os hominídeos manuseavam a carne com algumas ferramentas produzidas de lascas de pedras ou de pedras.

Durante essa fase, os hominídeos possuíam uma habilidade limitada para obter a proteína animal.

2ª etapa da alimentação na Pré-História

Foi durante a segunda etapa que os grupos humanos desenvolveram técnicas de quebrar os ossos para se alimentarem do tutano.

Além disso, foi durante essa fase que os hominídeos passaram a adotar procedimentos mais comuns para a manipulação da carne e para o transporte das carcaças dos animais de um lugar para outro.

Essa etapa, que ocorreu entre 2,3 a 1,9 milhões de anos atrás, é caracterizada pelo aproveitamento de carcaças deixadas por outros carnívoros, contudo, os humanos dessa época também conseguiam obter sua própria carne.

3ª etapa da alimentação na Pré-História

A terceira etapa é marcada pela “evolução carnívora” dos hominídeos. A partir de então, os grupos humanos conquistavam sua proteína animal através de novas técnicas de captura de presas de outros animais ou por meio da caça, que passou a ser uma atividade constante.

Esta última etapa é datada de 1,8 e 1,6 milhões de anos atrás, indicando que, além do domínio da caça, os hominídeos desse período já tinham a capacidade de conquistar partes de caça de outros predadores.

Pré-história
Obra que retrata a Pré-História

O paleontólogo Lars Werdelin afirma que o avanço da habilidade de caça dos hominídeos gerou uma diminuição do número de espécies carnívoras de parte do continente africano.

Segundo ele, é possível que várias espécies de grande porte tenham sido extintas em razão do desenvolvimento da caça praticada pelos grupos humanos.

As mudanças climáticas somadas à entrada dos hominídeos na cadeia alimentar carnívora indicaria que o ecossistema da região leste da África sofreu alterações drásticas.

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More