Batalhas dos Guararapes (1648-1649)

As Batalhas dos Guararapes foram enfrentamentos que ocorreram no nordeste do Brasil entre o exército luso-brasileiro e o exército holandês.

0

A Batalha dos Guararapes foram confrontos que envolveram portugueses, africanos escravizados, indígenas e holandeses no nordeste do Brasil, entre os anos de 1648 e 1649, durante o Brasil Colônia.

O palco dessas batalhas foi o Morro dos Guararapes, na região da cidade de Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco.

A Coroa portuguesa saiu vitoriosa do conflito, graças aos indígenas que conheciam o território e às técnicas de guerrilhas.

As Batalhas dos Guararapes foi responsável por trazer novos elementos para a história do país:

  • Militarmente: Surgimento de táticas de guerrilha;
  • Socialmente: Ação conjunta entre indígenas, africanos e europeus.

Além disso, a ocorrência dessas batalhas foram um dos fatores que enfraqueceram o poderio holandês na colônia portuguesa.

Contexto histórico das Batalhas dos Guararapes

As duas Batalhas dos Guararapes ocorreram durante a ocupação holandesa no nordeste da colônia portuguesa.

Tal ocupação ocorreu quando Portugal passou a ser comandado pela Espanha, após a morte do rei português, Dom Sebastião, em 1580.

Como o monarca não havia deixado nenhum herdeiro e o rei da Espanha, Filipe II, era o parente mais próximo, a Coroa espanhola passou a comandar tanto o Reino da Espanha, quanto o Reino de Portugal.

Os Países Baixos, que eram possessões espanholas, estavam em guerra para conquistar a independência.

A Holanda era a principal província entre os Países Baixos. Visando atacar os espanhóis, os holandeses decidem ocupar as colônias portuguesas.

Para a investida ter sucesso, o país criou as Companhias Holandesas das Índias Ocidentais e Orientais.

A do Ocidente ficou responsável pela ocupação da região nordeste da colônia portuguesa. Em 1624, os holandeses partem rumo à Bahia. No entanto, eles foram expulsos da região após um ano.

Em 1630, a Holanda consegue ocupar a capitania de Pernambuco, a foz do Rio São Francisco (Alagoas e Sergipe) até o estado do Ceará.

O principal objetivo dos holandeses era explorar a produção do açúcar. O aumento dos impostos e das dívidas feitas pelos senhores de engenho com a Companhia Holandesa das Índias Ocidentais, fez com que a relação entre portugueses e holandeses, enfraquecesse.

Sendo assim, a própria população decide se unir para expulsar os holandeses do território. As principais batalhas ocorreram no Morro dos Guararapes, contando com a participação dos portugueses, africanos e indígenas contra os holandeses.

1° Batalha dos Guararapes

No dia 19 de abril de 1648, dois exércitos, um comandado por Sigmund von Schkoppe e outro, por Francisco Barreto, iniciam o combate.

O exército liderado por Schkoppe, que visava defender os interesses holandeses, contava com cerca de 4.500 soldados e 1.000 indígenas.

Já Barreto, que representava os interesses portugueses, reuniu 2.200 homens entre os quais estavam africanos escravizados, europeus e indígenas.

Mesmo reunindo menos combatentes, os luso-brasileiros se destacaram, conseguindo garantir a vitória sobre os holandeses.

2° Batalha dos Guararapes

Em 1649 ocorreu mais um conflito. O exército luso-brasileiro apresentou uma nova tática na batalha do dia 19 de fevereiro.

O exército se dividiu em dois, um grupo ao norte do morro e o outro ao sul, de modo que os soldados se escondessem nos canaviais para se protegerem do sol escaldante e dos combatentes holandeses.

Já o exército holandês se fixou na parte descampada do monte, recebendo toda a luz do sol. Sendo assim, o exército luso-brasileiro aguardou a movimentação holandesa até as três da tarde.

Quando se movimentaram, receberam ataques repentinos. Com isso, a vitória dos luso-brasileiros foi menos penosa que a anterior.

O saldo de vítimas do holandeses somou 1.044 mortos e mais de 500 feridos. Já os luso-brasileiros perderam 47 vidas e 200 ficaram feridos.

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.