Futurismo, o movimento artístico inspirado pela tecnologia

Criado no contexto da Segunda Revolução Industrial, o movimento foi marcado pela dinamicidade e ruptura com o passado.

0

O futurismo foi um movimento artístico que surgiu entre 1909 e 1910 em Milão, na Itália. Como o próprio nome sugere, trata-se de uma vertente que se inspirava no futuro, devido às grandes mudanças que vinham ocorrendo na época.

Isso porque o movimento está inserido no contexto histórico da Segunda Revolução Industrial, em que os avanços tecnológicos, descobertas e invenções ganhavam cada vez mais força.

Embora tivesse um forte caráter nacionalista, com maior expressão na Itália e França devido ao apoio do regime fascista, o futurismo também exerceu influência nas artes de outros países como Rússia e Brasil.

A seguir, você confere o que é futurismo, suas características e os principais artistas do movimento.

O que é futurismo?

O futurismo é uma das tendências das vanguardas artísticas do início do século XX. Ele teve início com a publicação do Manifesto Futurista, no jornal Le Figaro, em 20 de fevereiro de 1909.

O texto foi escrito por Filippo Marinetti e causou polêmica por exaltar não só a evolução da tecnologia, mas também o radicalismo, a violência e a guerra. Confira alguns trechos do manifesto:

Afirmamos que a magnificência do mundo se enriqueceu de uma beleza nova: a beleza da velocidade. Um carro de corrida adornado de grossos tubos semelhantes a serpentes de hálito explosivo… um automóvel rugidor, que parece correr sobre a metralha, é mais belo que a Vitória de Samotrácia.

Estamos no promontório extremo dos séculos! […] Por que haveremos de olhar para trás, se queremos arrombar as misteriosas portas do Impossível? O Tempo e o Espaço morreram ontem. Vivemos já o absoluto, pois criamos a eterna velocidade onipresente.

Queremos glorificar a guerra – única higiene do mundo -, o militarismo, o patriotismo, o gesto destruidor dos anarquistas, as belas ideias pelas quais se morre e o desprezo da mulher.

Queremos destruir os museus, as bibliotecas, as academias de todo tipo, e combater o moralismo, o feminismo e toda vileza oportunista e utilitária.

Assim, o futurismo representava uma libertação do passado, com o surgimento de um novo mundo através dos motores, turbinas, engrenagens e eletricidade. Sua influência foi observada principalmente na pintura, literatura, escultura e na música.

Características do futurismo

O futurismo é marcado pela dinamicidade, a fim de expressar um movimento acelerado que demonstre a beleza da velocidade.

Havia também uma rejeição ao sentimentalismo, moralismo e tradições, e valorização do novo homem, da revolução e das tecnologias.

Arranha-céus e túneis - Fortunato Depero
Obras do futurismo: Arranha-céus e túneis (1930), de Fortunato Depero.

Confira as principais características do futurismo nas artes e na escrita:

  • Influência cubista e abstracionista;
  • Uso de cores vibrantes e contrastes fortes;
  • Sobreposição dos traços para representar a ideia de velocidade;
  • Na escrita, a ideia de movimento e energia era simbolizada pelo uso de onomatopeias, exclamações e interjeições, além de versos livres e frases fragmentadas.

Principais artistas do futurismo

  • Filippo Marinetti (1876–1944)
  • Giacomo Balla (1871–1958)
  • Carlo Carrà (1881–1966)
  • Fortunato Depero (1892–1960)
  • Luigi Russolo (1885–1947)
  • Umberto Boccioni (1882–1916)
  • Enrico Prampolini (1894–1956)
  • Vladimir Maiakóvski (1893–1930)
  • Nikolay Diulgheroff (1901–1982)
  • Gino Severini (1883–1966)
Velocidade de um automóvel - Giácomo Balla
Obras do futurismo: Velocidade de um automóvel (1913), de Giácomo Balla.

Futurismo no Brasil

O movimento teve início no país na Semana de Arte Moderna de 1922, com a proposta de ruptura com a arte tradicional para criar uma nova arte e identidade nacional, rejeitando o passado e exaltando o futuro.

Os dois principais nomes do futurismo no Brasil foram os escritores Oswald de Andrade (1890–1954) e Mário de Andrade (1893–1945). Embora não se considerassem futuristas, eram claramente influenciados pelo movimento, que foi a base do modernismo brasileiro.

Ao contrário da Europa, que vivenciava o avanço da tecnologia, o Brasil estava em fase de transição. A economia, até então predominantemente agrária, estava apenas iniciando seu processo de industrialização.

Por isso, os princípios futuristas não estavam de acordo com a realidade do país e tiveram que ser reformulados. Em alguns momentos, Mário e Oswald de Andrade inclusive chegaram a criticar os ideais de Marinetti.

Outros nomes de destaque do futurismo no Brasil foram Anita Malfatti (1889–1964), Graça Aranha (1868–1931), Manuel Bandeira (1886–1968) e Ronald de Carvalho (1893–1935).

Leia também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.