Olga Benário

Olga Benário foi uma revolucionária alemã, judia e comunista.

Olga Benário foi uma revolucionária alemã do século XX. Tornou-se uma figura de destaque por integrar o Partido Comunista da Alemanha e, posteriormente, da União Soviética (URSS), local em que aperfeiçoou seus saberes teóricos e práticos sobre o comunismo.

Por isso, foi imbuída de acompanhar e garantir a segurança do militante Luís Carlos Prestes em uma viagem ao Brasil. Os dois se apaixonam, se casam no Brasil e permanecem com a luta revolucionária no país.

Após serem presos durante o governo de Getúlio Vargas, Olga é deportada para a Alemanha, local que perseguia intensamente os judeus e comunistas (ambas características de Olga).

Olga morre na Alemanha, em um campo de concentração nazista. Mesmo não tendo vivido muito, ela deixou um legado de resistência e luta contra o nazi-fascismo e em favor dos seus ideais humanitários.

Biografia de Olga Benário

Olga Gutmann Benário nasceu no dia 12 de fevereiro de 1908, em Munique, cidade da Alemanha. Cresceu em uma família judia rica.

Seu pai, Leo Benário, era um famoso advogado, preocupado com a população mais carente e integrante do Partido Social-Democrata Alemão. Sua mãe, Eugenie Benário, era oriunda de uma rica família judia.

Inicia sua vida no ativismo político aos 15 anos, quando ingressa em um coletivo comunista destinado aos menores de idade, o Grupo Schwabing.

Começa um relacionamento com Otto Braun e, aos 16 anos, se muda com ele para Berlim, local em que milita intensamente devido ao avanço da extrema-direita e do Partido Nazista.

Em 1926, Olga e Otto são presos por conspirarem contra o governo alemão. Ela permanece detida por dois meses. Quando é libertada, seu companheiro segue na prisão.

Em 1928, ela invade a prisão em que ele estava detido e o liberta. Ambos se tornam procurados pela polícia, acusados de traírem a pátria, e se refugiam na União Soviética.

Na URSS, Olga recebe treinamento militar e aprofunda o estudo da teoria marxista. Assim ela continua sua militância.

No mesmo período, Luís Carlos Prestes residia em Moscou, exilado do Brasil por conta da Coluna Prestes.

Desse modo, Olga Benário recebe a missão da Internacional Comunista de proteger Luís Carlos Prestes na sua volta ao Brasil.

Chegada ao Brasil

Para não causarem nenhum tipo de desconfiança, Luís Carlos Prestes e Olga Benário viajam ao Brasil como se fossem casados, no entanto, durante a viagem, os dois se apaixonam e se tornam um casal de fato.

 Olga Benário
Luís Carlos Prestes e Olga Benário

Chegando ao país, Prestes se envolve no levante que tinha por intuito tirar Getúlio Vargas do poder. Organizado pela Aliança Nacional Libertadora (ANL), a Intentona Comunista ocorreu em 1935.

Tal levante comunista era composto por uma frente de esquerda antifascista, apoiada pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB) e pela Internacional Comunista.

A prisão de Olga Benário

A Intentona Comunista durou pouco tempo, pois foi rapidamente sufocada pelo governo Vargas. Com isso, o casal é preso em março de 1936.

Olga, que estava grávida, é mantida na prisão. Passa por interrogações exaustivas e sofre maus tratos com o objetivo que entregar seus companheiros.

Não cede às pressões e, ainda em 1936, é deportada para a Alemanha a mando de Getúlio Vargas. Nessa época, já havia uma intensa perseguição alemã aos judeus e comunistas — Olga se encaixava nas duas categorias.

Chegando em sua terra natal, Olga é enviada à prisão de Barnimstrasse, na cidade de Berlim. No dia 27 de novembro de 1936, ela dá à luz sua filha, Anita Leocádia Prestes.

A criança permanece com a mãe até os 14 meses, período do aleitamento. Em seguida, é entregue à avó paterna e sua tia.

Campos de concentração

Olga Benário é enviada a diversos campos de concentração nazistas, sofrendo torturas e realizando trabalhos forçados.

Em abril de 1942, aos 34 anos, Olga é assassinada junto a outras mulheres em uma câmara de gás no campo de extermínio de Bernburg, na Alemanha.

Curiosidades

  • Em 1985 é lançada sua biografia, Olga – a Vida de Olga Benário Prestes, escrita por Fernando Morais.
  • Em 2004 é lançado o filme, Olga, em que retrata a história da revolucionária.
  • Em 2017, sua filha e historiadora, Anita Leocádia Prestes publicou a obra, Olga Benário Prestes: uma comunista nos arquivos da Gestapo.

Saiba mais em:

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More