Arthur Schopenhauer

O grande filósofo alemão teve suas obras pautadas na filosofia pessimista, influenciando muitos outros filósofos. Confira sua biografia e principais estudos.

0

Arthur Schopenhauer foi um alemão do século XIX muito importante para a filosofia pessimista.

Além disso, seus estudos e obras influenciaram muitos filósofos e pensadores, como Sigmund Freud, Albert Einstein, Ludwig Wittgenstein, entre outros.

Biografia de Arthur Schopenhauer

Arthur Schopenhauer - BiografiaSchopenhauer nasceu no dia 22 de fevereiro de 1788, em Dantzig na Polônia, e faleceu dia 21 de setembro de 1860 na Cidade Livre de Frankfurt, Alemanha.

O filósofo alemão é filho de Heinrich Floris Schopenhauer, um negociante bem sucedido, e Johanna Schopenhauer, uma escritora popular. Dessa forma, ele cresceu em um ambiente de finanças, que o preparava para seguir carreira mercantil.

A família Schopenhauer se mudou algumas vezes para outras cidades. Quando Arthur tinha 5 anos de idade, se mudou com seus pais para Hamburgo, na Alemanha. Aos 9 anos foi para França, onde se empenhou no estudo de línguas.

Além disso, o jovem Schopenhauer fez muitas viagens e passou a conhecer várias realidades fora de sua cidade. Assim, em viagens pela França e Austrália, se deparou com realidades de pobreza e miséria nas cidades e fazendas, com alguns aspectos caóticos e sujos. Com isso, ele ficou assombrado e teve seus pensamentos sensibilizados.

Assim, Schopenhauer começou a filosofar sobre os problemas do homem e a existência humana.

No ano de 1805, ingressou na Faculdade de Comércio de Hamburgo, mas pouco tempo depois abandonou o curso. Nesse mesmo ano seu pai veio a falecer e Arthur Schopenhauer se mudou para Weimar, local muito popular entre os intelectuais da época.

Entretanto, tempos depois, recebeu a herança de seu pai e decidiu focar nas atividades intelectuais, abandonando qualquer ligação com o comércio.

Em 1809, decidiu ingressar novamente na faculdade, se matriculando na Universidade de Gottingen em Medicina, na Alemanha.

Porém, logo desistiu do curso e transferiu para Filosofia. A partir disso, Arthur se encontrou. Assim, ele continuou nessa área, de forma que desenvolveu obras e teses e tornou-se professor, lecionando entre os anos de 1820 e 1831.

Nesse período, Schopenhauer tentou competir com Hegel, marcando suas aulas para o mesmo horário do rival, mas fracassou pois pouquíssimos estudantes assistiam suas aulas.

Estudos na filosofia

Sua filosofia se iniciou como crítica a filosofia de Hegel, apoiador da corrente racionalista e do idealismo alemão. Com isso, Schopenhauer teve seus primeiros trabalhos acadêmicos como opositor de Hegel, proferindo palavras amargas contra o filósofo.

Além disso, Arthur Schopenhauer foi o primeiro estudioso ocidental a abrir sua filosofia aos pensamentos orientais, agregando ideias do Budismo e Hinduísmo.

Ademais, suas ideias são baseadas nas representações de Immanuel Kant, como o idealismo transcendental.

Schopenhauer estabeleceu seus estudos em torno da ideia de que o mundo é uma representação individual. Dessa forma, afirmava que o mundo estava repleto de representações criadas pelos sujeitos e assim não conhecemos o mundo como ele realmente é.

Em decorrência disso, só é possível ver aquilo que está dentro das capacidades perceptivas dos indivíduos, com um representação própria.

Somado a isso, ele afirmava que seria impossível distinguir entre sonho e realidade, como se a vida fosse um sonho longo, interrompido pela noite com sonhos curtos.

Suas teorias abordavam temas relacionados com a existência humana, sofrimento e tédio, junto a diversos assuntos, como a metafísica, a ética e a moral.

O filósofo teve vasto estudo com ditos pessimistas em relação a vida humana. Com isso, Schopenhauer afirmava que a vontade é a origem do mal e da dor. A partir disso, a consciência necessita descobrir a vontade, o que gera a libertação. Além disso, ele busca a libertação da vontade e escritos budistas e na filosofia oriental.

Principais obras de Arthur Schopenhauer

  • Sobre a Raiz Quádrupla do Princípio da Razão Suficiente (1813)
  • Sobre a Visão e as Cores (1815)
  • O Mundo como Vontade e Representação (1819)
  • Sobre a Vontade da Natureza (1836)
  • Os Dois Problemas Fundamentais da Ética (1841)
  • Parerga e Paralipomena (1851)
  • Metafísica do Amor/Metafísica da Morte
  • A Arte de se Fazer Respeitar
  • A Arte de Insultar
  • Sobre o Ofício do Escritor
  • A Arte de Ter Razão
  • A Arte de Ser Feliz
  • A Arte de Lidar com as Mulheres
  • As Dores do Mundo
  • Sobre a Vida Universitária
  • Sobre o Fundamento da Moral
  • Sobre a Liberdade da Vontade

Frases de Arthur Schopenhauer

  • “A vida é luta contínua pela existência, com a certeza da derrota final.”
  • “A vida é um velejar em direção ao naufrágio.”
  • “A vida oscila entre a dor e o tédio.”
  • “A solidão é a sorte de todos os espíritos excepcionais.”
  • “O amor é a compreensão da morte.”
  • “Quanto mais elevado é o espírito mais se sofre.”
  • “Dos sete dias da semana, seis são de dor e necessidade e um é de tédio.”
  • “O homem é o único animal que faz os outros sofrerem só para os ver sofrer.”
  • “O homem sente prazer com o mal alheio.”
  • “Na vida humana a infelicidade é a regra.”
  • “A vida é esmola que prolonga a vida para seguirmos no tormento.”
  • “A história é acaso cego e o progresso é ilusão.”
  • “As pessoas comuns pensam apenas como passar o tempo. Uma pessoa inteligente tenta usar o tempo.”

Veja também: 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.