Período Homérico

O Período Homérico foi a fase que marcou o início da civilização grega.

0

O Período Homérico (XII a.C.—VIII a.C.) é assim chamado devido à ausência de fontes históricas dessa fase. As mais conhecidas são os poemas Ilíada e Odisseia, escritos pelo poeta grego, Homero.

Acredita-se que ambos os poemas tenham sido escritos por volta do século VI a.C., relatando os últimos momentos da Guerra de Troia e o retorno de Odisseu para o reino após o enfrentamento.

Resumo — Características do Período Homérico

Os poemas Ilíada e Odisseia escritos por Homero são as principais fontes históricas que correspondem ao período da invasão dórica e a criação das genos.

Ilíada narra a forma como os gregos levavam a vida durante a Guerra de Troia. Já a Odisseia fala sobre o retorno dos heróis desse conflito e a viagem de Ulisses.

A invasão dórica foi a grande responsável pelo retrocesso da produção cultural e material da região, pois as cidades acabaram sendo abandonadas e o comércio que antes vigorava, desapareceu.

O retorno ao campo e à vida rural fez com que a sociedade voltasse a se organizar de forma modesta.

Os gregos começaram a se organizar em genos (clãs), por isso, quando nos referimos à sociedade grega, a chamamos de sociedade gentílica, que era uma comunidade formada por uma grande família, liderada pelo patriarca.

A atividade coletiva garantia a sobrevivência desses povos que compartilhavam o trabalho, a produção e os bens.

Foram vários os motivos que causaram o desaparecimento da sociedade gentílica. Um deles foi o fato de a produção coletiva não conseguir acompanhar o aumento da população, o que acabou gerando fome.

Assim, os chefes de família se uniram aos descendentes mais próximos, juntaram as melhores terras e formaram uma pequena aristocracia comandada pelo basileu, um líder militar e religioso. Assim, tais clãs foram se desenvolvendo aos poucos.

As camadas mais empobrecidas da população se concentraram no artesanato ou migraram para outras localidades em busca de novas terras, o que deu origem a importantes cidades-Estado gregas, como Esparta, Atenas, Marselha, Siracusa, Bizâncio.

Essa fase foi marcada por diversos conflitos por terras, que acabaram contribuindo para a escravização dos povos vencidos.

A fragmentação das sociedades gentílicas, somada a reunião das genos, propiciou a consolidação das cidades-Estado gregas.

O declínio das genos facilitou a ocorrência de uma fragmentação econômica e social, tendo em vista a proximidades dos líderes das tribos.

Por fim, a estrutura social do período foi dividida em:

  • Eupátridas (bem-nascidos)
  • Georgóis (agricultores)
  • Thetas (marginais)

Surge, então, a propriedade privada e as classes sociais na Grécia Antiga, marcando o fim do Período Homérico e o início do Período Arcaico.

Saiba mais em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.