Atena – Deusa da sabedoria, das artes e da guerra na Mitologia Grega

Filha de Zeus, Atena foi cultuada em toda a Grécia Antiga, inclusive, nomeando uma de suas principais cidades.

0

Representada por uma jovem bela e austera, a deusa Atena, também conhecida como Palas Atena, é a deusa grega da inteligência, da guerra, das artes, da justiça e da sabedoria. Está entre os 12 deuses do Olimpo, também chamados de Panteão.

Além da Grécia Antiga, foi reverenciada no norte da África, Índia, Península Ibérica, e nas colônias gregas da Ásia Menor. É considerada como aquela que protege as cidades, ourives, tecelões e arquitetos.

História de Atena

Apesar de Atena ser considerada a filha preferida de Zeus, a história de seu nascimento é um tanto curiosa. Temendo que, ao crescer a deusa tomasse o seu posto de supremo do Olimpo, quando Métis engravidou ele propôs uma brincadeira.

Nela, desafiando o poder de transfiguração, ambos deveriam se transformar em animais. Inocentemente a deusa se transformou em uma mosca. No mesmo instante Zeus a engoliu, com o objetivo de evitar o nascimento da filha.

Ela foi para a cabeça do deus e com o passar do tempo ele começou a sentir uma dor insuportável. Para tentar aliviar, pediu ao seu filho Hefesto que lhe desse uma machadada do meio da fronte.

Para surpresa de todos, no mesmo local onde o machado foi cravado saiu a deusa Atena. Já adulta, ela vestia sua armadura e elmo e carregava o escudo. Ela sempre leva uma lança na mão. Mas ao contrário do que muitos imaginam, ela não representa guerra, e sim, estratégia de vencer.

Um de seus símbolos é o escudo. O mais sagrado e poderoso da mitologia grega, ele recebe o nome de Égide e foi dado de presente pelo seu pai, Zeus. Ao ajudar o herói Perseu a derrotar Medusa, passou a usar a cabeça do monstro no escudo.

Foi protetora de vários heróis e de toda a Ática e de várias outras cidades gregas, da qual a de maior destaque é aquela que leva seu nome, Atenas.

Nela, durante o século V a.C, foi construído um templo em sua homenagem. Ele recebeu o nome de Parthenon, onde em homenagem a deusa, era realizada uma festividade que recebeu o nome de Panatenéias.

Lenda de Belerofonte

Belerofonte foi um herói da mitologia grega. Considerado um semideus, era filho de Poseidon com uma humana. Porém, o belo guerreiro foi adotado por Glauco de Corinto.

Um dia, ao cometer um crime, ele foge para Tirinto. Lá ele se torna servo do rei Proeto e passa a viver sob a sua proteção. A rainha Antéia, atraída pela beleza do jovem, começa a lhe dar várias investidas. Temendo um castigo do rei, ele a recusa em todas as oportunidades.

Cheia de ódio pela rejeição, ela resolve inverter a situação denunciado Belerofonte para o marido, assegurando que ele costumava fazer inúmeras propostas indecentes a ela. Enfurecido, Proeto trata da morte do semideus com seu sogro, Lobates, o rei da Lídia.

Para aplicar o castigo e garantir a morte de Belerofonte, Lobates o envia para enfrentar a Quimera, um monstro híbrido que soltava fogo pela boca. Pégaso, o cavalo voador do herói foi o responsável por levá-lo ao encontro da criatura.

Conhecida por ser protetora dos heróis, deusa Atena lhe deu uma rédea de ouro com a qual ele deveria domar o cavalo. Com ela, Pégaso o guiou até o local onde a Quimera estava. Ao contrário do esperado, ele matou o monstro com uma flecha do coração e saiu vivo da armadilha tramada contra ele.

Cidade de Atenas

O mito que trata do nome da cidade tem origem a partir da disputa entre dois deuses, Atenas e seu tio, Poseidon. Aquele que oferecesse o melhor presente para os habitantes do local seria homenageado dando a ele o seu nome.

Durante a disputa, o deus do mar bateu com seu tridente no chão, fazendo emergir um cavalo e uma fonte de água do mar. Atena, além do domar o cavalo e torná-lo um animal doméstico, bateu no chão com sua lança e do local saiu uma bela árvore, a oliveira.

A árvore, considerada uma das mais nobres plantas, dava às pessoas alimento, óleo e madeira. Os moradores da cidade não tiveram dúvida, e por decisão unânime ela foi considerada a vencedora, dando à cidade o seu nome, Atenas.

Atena e o voto de minerva

O voto de minerva é uma expressão muito usada, ainda nos dias de hoje. O que pouca gente sabe é que ele tem origem na mitologia grega. Segundo o mito, Orestes matou sua mãe para vingar a morte do próprio pai.

Ele, então, foi julgado pelo povo de Atenas. Considerada a deusa da justiça, Atena presidiu o júri. Quando houve empate, ela proferiu o voto de desempate em favor de Orestes o declarou inocente. Por isso, até hoje o voto de desempate leva esse nome.

Curiosidades sobre a deusa Atena

  • Na Mitologia Romana é conhecida como Minerva;
  • Era considerada por seu pai, Zeus, como a mais inteligente entre todos os deuses e seres humanos;
  • Manteve-se virgem durante toda a vida, temendo que uma gravidez pudesse lhe impedir de participar das batalhas;
  • Apesar de virgem, teve um filho, fruto de uma violação de seu irmão Hefesto. O bebê recebeu o nome de Erictônio e posteriormente foi o primeiro rei de Atenas;
  • Foi Atena, a responsável por transformar a bela e jovem Medusa em um monstro com cabelos de serpente. A deusa tinha muito apreço pela seriedade e respeito. Ao
  • ver Apolo e Medusa desrespeitaram o altar do templo sagrado, castigou a jovem;
  • Ajudou Perseu a derrotar Medusa, oferecendo-lhe um escudo de bronze e orientando que não olhasse diretamente para a górgona.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.