Prometeu Acorrentado

Prometeu Acorrentado é uma mitologia grega que foi reproduzida pelo teatro sob o texto de Ésquilo.

Prometeu Acorrentado foi uma das tragédias gregas escritas por Ésquilo, escritor grego que teve suas peças teatrais reproduzidas em larga escala no período da Grécia Antiga.

Prometeu Acorrentado faz parte de uma trilogia que reúne ainda, Prometeu Libertado e Prometeu Portador do Fogo.

Esta narrativa aborda o castigo sofrido por Prometeu que, ao roubar o fogo e concedê-lo à humanidade, causou revolta no mundo dos deuses, principalmente em Zeus.

Mito de Prometeu

Existem várias versões do mito de Prometeu. Uma delas consiste na história de que ele roubou o fogo para dar aos seres humanos. Como o elemento roubado pertencia a Zeus, o deus dos deuses, Prometeu foi castigado.

Zeus ordenou que ele fosse acorrentado a uma rocha e, além disso, mandava uma águia para comer seu fígado que se regenerava todas as noites.

Passaram-se vários anos com a águia se alimentando do fígado de Prometeu, que seguia acorrentado, até que o herói Hércules o libertou e o substituiu pelo centauro Quíron.

Zeus havia estabelecido que Prometeu só teria a liberdade caso ele fosse substituído por outro ser igualmente mortal. Feita a troca, Zeus concedeu-lhe a mortalidade, assim como uma vida e morte serenas.

Outra versão afirma que, após ser salvo, Prometeu se tornou um deus. Já Quíron, que havia sido flechado acidentalmente por Hércules, desejava morrer já que o disparo lhe causava muita dor.

Mitologia grega

De acordo com a mitologia grega, Prometeu foi o responsável por criar o ser humano. Antes, na Terra havia somente animais e plantas. Com isso, coube a Prometeu criar o homem por meio do barro, utilizando o molde do corpo dos deuses.

Terminado o corpo humano, Prometeu atribuiu a alma dos animais a essa nova espécie. A deusa da sabedoria, Atena, gostou da criação do titã e, no lugar da alma dos animais, concedeu o espírito aos seres humanos.

Prometeu ensinou aos seres humanos diversos ofícios que visavam a garantia da sobrevivência dos mesmos. Percebendo que faltava algo, ele concedeu o domínio do fogo, elemento que simboliza o conhecimento intuitivo.

Zeus, insatisfeito com a evolução da humanidade, resolveu se vingar de Prometeu e dos seres humanos. Com isso, ele enviou para os seres humanos a Caixa de Pandora, recheada com todos os males do mundo. Já o castigo de Prometeu foi ficar acorrentado a uma rocha por milhares de anos.

Existem versões desta mitologia que afirmam que Prometeu não enganou Zeus para roubar o fogo, pois este elemento já era dominado pela humanidade. Segundo esta versão, Prometeu teria enganado Zeus quando o levou para comer carne, mas deu-lhe apenas ossos.

Como vingança, Zeus resolveu tirar o fogo dos mortais para que eles comessem carne crua, porém, Prometeu roubou o fogo e o concedeu novamente aos seres humanos.

Saiba mais em:

você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More