Região Nordeste – Estados, economia, sub-regiões, clima, relevo

Composto por nove estados, e dividido em quatro sub-regiões, o Nordeste é a terceira maior região do país, ocupando 18,2% da área total do Brasil

0

Por ser um país com território muito extenso, o Brasil foi dividido em cinco regiões, sendo elas: Centro-Oeste, Norte, Sul, Sudeste e Nordeste.

A região Nordeste por sua vez, é composta por nove estados: Alagoas (AL), Bahia (BA), Ceará (CE), Maranhão (MA), Paraíba (PB), Pernambuco (PE), Piauí (PI), Rio Grande do Norte (RN) e Sergipe (SE).

A extensão territorial dessa região é de aproximadamente 1,5 milhão de quilômetros quadrados, o que o torna a terceira maior região do país, ocupando 18,2% da área total do Brasil. O território nordestino limita-se com as regiões Norte, Sul, Centro-Oeste e Sudoeste.

De acordo com o Censo Demográfico de 2010, o Nordeste tem aproximadamente 53,5 milhões de habitantes, isso significa que a região abriga aproximadamente 28% de toda população do país. Dessa forma, a densidade demográfica é de 34,1 habitantes por quilômetro quadrado.

O estado mais populoso é a Bahia, com cerca de 14 milhões de habitantes, e o menos populoso é Sergipe, com aproximadamente 2 milhões de habitantes.

Economia do Nordeste

A economia da região Nordeste está em constante processo de desenvolvimento, isso porque a região vem recebendo várias indústrias.

Um dos motivos para o surgimento dessas indústrias é a concessão de benefícios fiscais oferecidos pelos governos estaduais (isenção de impostos, doação de terrenos, etc.), além de mão de obra mais barata. Um dos exemplos foi a instalação da Ford, na Bahia, e diversas empresas têxteis, no Ceará.

Outro elemento essencial para a economia dessa região é a exploração do petróleo, já que o Nordeste é o segundo produtor de petróleo do país e o maior na extração de petróleo em terra.

Extração de petróleo em terra, no estado do Ceará
Extração de petróleo em terra, no estado do Ceará

A agricultura e pecuária são extremamente prejudicadas com a irregularidade das chuvas. Por isso, a criação de cabras é o que se destaca, já que o animal se adapta fácil ao clima.

Em termos de agricultura, a cana-de-açúcar é o produto que mais se destaca. No entanto, as lavouras irrigadas de frutas tropicais têm tido um aumento significativo na produção nacional. Além disso, o Nordeste apresenta significativa criação comercial de camarão, tendo concentrado 97% da produção nacional desse crustáceo.

Além disso, o grande número de cidades litorâneas com praias paradisíacas atrai milhares de turistas todo ano. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Turismo de 2009, capitais como Salvador (BA), Fortaleza (CE), Recife (PE), e Natal (RN), estão entre as cidades que mais recebem turistas.

Praia em Trancoso, na Bahia
Praia em Trancoso, na Bahia

Sub-regiões do Nordeste

O Nordeste foi dividido em quatro sub-regiões, agrupando os aspectos característicos de cada área: Zona da Mata, Agreste, Sertão e Meio-Norte.

A zona da mata nordestina compreende uma faixa litorânea que se estende do Rio Grande do Norte até o sul da Bahia. O clima nessa região é tropical úmido, com temperaturas entre 25 e 31 graus ao longo do ano.

As chuvas são irregulares, e têm maior ocorrência nos meses de abril a julho. O relevo dessa área é composto por planaltos, planícies e depressões em diferentes altitudes.

Além de tudo isso, essa área que possui grande extensão litorânea tem praias com águas quentes, que estão entre as mais bonitas do país. Ainda exibem paisagens diversificadas, entre coqueirais, dunas, falésias, piscinas naturais, manguezais, recifes, corais, entre outras coisas que permitem a prática de esportes náuticos.

O agreste nordestino se estende numa faixa estreita e paralela à zona da mata, que vai do Rio Grande do Norte até grande parte da Bahia. Essa área apresenta um clima de transição entre o tropical úmido do litoral e o semiárido do sertão, e a temperatura varia entre 18 e 30 graus.

O relevo dessa sub-região é acidentado, com planaltos que fazem barreira evitando que o ar que vem do litoral leve a brisa úmida para a região. Em áreas que formam vales entre os planaltos, o ar consegue passar e surgem brejos, dessa forma favorecendo a agricultura dessa zona.

As cidades que mais se destacam nessa região são: Caruaru e Garanhuns em Pernambuco; Feira de Santana na Bahia e Campina Grande na Paraíba.

O sertão nordestino corre paralelo à Zona do Agreste, se alargando ao sul, por quase todo o estado da Bahia. É a maior das quatro zonas nordestinas. A área do sertão, vem se alargando e quase atinge o litoral do Ceará e Rio Grande do Norte

O clima dessa sub-região é semiárido, e com poucas chuvas, podendo chegar a mais de 40 graus no verão. Além disso sofre grandes períodos de seca, como a que aconteceu de 1979 a 1984.

Com as frequentes secas, uma grande parte do sertão recebeu o nome de “Polígono das Secas”, área que corresponde a 10% do território brasileiro. O solo dessa zona é seco e pedregoso.

A vegetação predominante é a caatinga, onde se destacam o umbuzeiro, o xique-xique, o mandacaru e a palma. Essas plantas são resistentes ao solo seco. Além disso, no sertão dos estados do Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte, encontram-se grandes áreas de lavoura de algodão arbóreo, de fibra longa e muito resistente que abastece as indústrias têxteis.

O meio-norte nordestino compreende os estados do Maranhão e Piauí. É um espaço de transição entre o sertão semiárido e a Amazônia, é cortada por vários rios, entre eles o Pindaré, o Grajaú, o Mearim, o Itapecuru e o Parnaíba.

O clima do meio-norte é tropical e apresenta temperaturas elevadas, que no verão podem atingir mais de 40 graus. Nas grandes planícies fluviais do Maranhão, formadas pelos rios Parnaíba, Mearim, Pindaré, Itapecuru e Grajaú, predominam a cultura do arroz.

No entanto, o meio-norte se modernizou, e a agropecuária se expandiu, corrigindo o solo do cerrado e passando a fazer parte da economia da região grandes plantações de soja.

Relevo

O relevo da região nordeste é praticamente todo formado pelo Planalto da Borborema. Esse é um dos principais motivos da secura na região, pois a chegada da chuva é impedida pelo planalto.

No litoral, encontra-se algumas planícies, além da Bacia do Rio Parnaíba a oeste e algumas elevações, como chapadas e planaltos. Um exemplo, é a Chapada Diamantina.

Chapada Diamantina
Chapada Diamantina

Vegetação

A vegetação do nordeste é muito diversa. Nas regiões litorâneas, encontra-se os mangues. Além de existirem algumas áreas espalhadas da Mata Atlântica e o Cerrado ao centro-oeste da região.

Ainda mais, a Caatinga e a Mata dos Cocais (entre Maranhão e Piauí) e a Floresta Amazônica no extremo oeste maranhense.

Hidrografia

A região nordeste possui dois rios de grande importância. Estes são o Rio São Francisco (que nasce em Minas Gerais e vai até a divisa entre os estados Alagoas e Sergipe) e o Rio Parnaíba (norte da região).

Rio São Francisco Foto
Rio São Francisco

Além disso, a Bacia Maranhense também é de grande importância.

Clima

Na região nordeste, o clima semiárido onde domina o sertão, ou seja, poucas chuvas e baixa umidade. Já na região litorânea, o clima é tropical e possui chuvas bem definidas. Em algumas partes do Maranhão, encontra-se o clima equatorial úmido e com alta pluviosidade.

No geral, a região é bem quente, podendo alcançar facilmente mais de 30°C no verão.

Confira mais detalhes sobre as demais regiões brasileiras:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.