Ares – O deus da guerra na Mitologia Grega

Uma das divindades do Olimpo, e chamado de maldição dos homens, frequentemente o deus é associado à agressão física e selvageria.

0

Ares ficou conhecido na Mitologia Grega como o deus das guerras sangrentas. Sempre ávido por carnificinas, suas principais características são o temperamento forte, a violência, covardia, agressividade e comportamento sanguinário.

Extremamente impopular entre os deuses e mortais, nem mesmo seus pais gostavam dele. Mesmo com toda essa sede de batalhas, foi derrotado diversas vezes. Uma de suas maiores rivais foi a própria irmã, Atena.

História de Ares

Ares é filho de Zeus e Hera, o rei e a rainha do Olimpo. De sua mãe, herdou o gênio forte, enquanto seu pai lhe inspirou força. Ele é visto como completo oposto de sua irmã Atena. Também considerada como representante da guerra, ela prima pela estratégia, ao invés da violência.

Homero, ao escrever o poema Ilíada, conta que os irmãos tiveram duas batalhas épicas, das quais Ares saiu derrotado. Na primeira ele foi ferido pela lança de Atena e teve que fugir para o Olimpo. Na segunda, a irmã lançou-lhe uma rocha gigante, e novamente ele foi aniquilado.

Essas batalhas perdidas fizeram com que ele recebesse a alcunha de fraco. De acordo com relatos, ele ficou tão ferido que gritava tão forte quanto 10 mil homens. Levando suas queixas ao pai, não obteve sucesso. Minimizando o fato, Zeus ordenou apenas que cuidassem de suas feridas.

Escultura do Deus Ares
Escultura do Deus Ares

Por conta de seu porte físico e de sua beleza, a esposa de seu irmão Hefesto e deusa do amor, Afrodite, se apaixonou por ele. Juntos, eles viveram um romance que gerou inúmeros filhos, sendo os mais conhecidos Eros, Pothos, Himeros, Anteros, Fobos, Deimos e Armonia.

Quando descobriu a traição da esposa, enciumado, Hefesto decidiu vingar-se do casal. Certa feita soube que iam se encontrar em um palácio e planejou uma armadilha. Na cama onde eles se deitariam, armou uma rede invisível em que ficaram presos.

Auxiliado pelo Sol, quando eles estavam atados, o astro avisou a todos os deuses para que fossem ver o casal de traidores. Ridicularizados, ficaram assim por um longo tempo, até que, quando finalmente foram soltos, tiveram que se separar.

Além de Afrodite, ficou conhecido por suas inúmeras amantes amazonas, com quem gerou muitos filhos mortais. Também foi pai de Diomedes, Cycnus e Lycaon, todos rivais de Hércules.

Curiosamente, mesmo com todas as características negativas, ele era extremamente protetor para com seus filhos. Em meio a tantos deuses, ficou conhecido por ser o único que tinha um comportamento de proteção.

Nenhuma cidade grega desejava o deus como seu patrono. Apesar disso, recebeu muitos cultos na cidade de Esparta. Ademais, os gregos, quando iam lutar, costumavam pedir a proteção de Ares. Em sacrifício, matavam vários animais na noite anterior ao embate.

Uma de suas batalhas mais conhecidas foi aquela travada com o semideus Hércules, quando este lutava com seu filho Cygnus. Ao ver que o seu rebento estava prestes a ser aniquilado resolver intervir. Porém, Hércules conseguiu superar os dois, ferindo gravemente o senhor da guerra.

Representação de Ares

Em suas estátuas podemos observar um jovem belo e de porte atlético. Porém, alguns autores o descrevem como uma criatura imensa e assustadoramente forte. Uma de suas representações mais comuns é o abutre.

Quando ia para batalhas, sua chegada era anunciada por meio de gritos tão altos e medonhos que eram capazes de aterrorizar seus inimigos e amigos. Em todas elas era acompanhado de perto pelos seus filhos, Deimos, o deus do terror e Fobos, o deus do medo.

Nesses episódios sempre estava de capacete, couraça, escudo e lança. Andava em uma carroça puxada com quatro cavalos que soltavam fogo pelas narinas.

Na mitologia romana ele é representado por Marte, que tem as características sangrentas bem atenuadas, sendo visto como um deus mais compassivo e calmo e menos agressivo. Junto com Réia, Marte teve dois filhos, Rômulo e Remo, os fundadores de Roma.

Frequentemente Ares aparece na cultura contemporânea. É um super-vilão nos quadrinhos da Mulher Maravilha, publicados pela DC Comics, aparece no desenho Cavaleiros do Zodíaco, nos filmes de Percy Jackson e no jogo God of War.

Ares e os gigantes Oto e Efialtes

Este é um dos mais conhecidos mitos relacionados ao deus da guerra. Ao contrário da aparência dos demais gigantes, os gêmeos Oto e Efialtes tinham belas feições e ficaram muito conhecidos por serem extremamente ambiciosos.

Quando eram ainda muito jovens, decidiram provar que eram superiores aos deuses do Olimpo. Assim, aprisionaram Ares em um jarro de bronze e o lançaram ao fundo de uma cadeia, sem que ninguém soubesse do seu destino.

Reza a lenda que ele permaneceu neste local durante treze meses, tempo em que permaneceu gritando incansavelmente. Não fosse pela madrasta dos gigantes, este teria sido o fim do deus da guerra.

Ela contou a Hermes o que os gêmeos haviam feito. O mensageiro dos deuses partiu em resgate a Ares e a deusa Artémis os enganou, fazendo com que um irmão matasse o outro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.