Lenda da Iara

Essa personagem do folclore brasileiro tem origem indígena, mas sua lenda passou por transformações sob influências africanas e europeias, confundindo-se com a de Iemanjá e das sereias gregas.

0

A lenda da Iara é um mito do folclore brasileiro nascido na região da Amazônia.

Conhecida também como Mãe d’água, ela tem raízes na cultura indígena. Em tupi-guarani, o significado de Iara é “aquela que vive nas águas”.

A personagem é uma sereia de pele morena e olhos castanhos, capaz de atrair os homens com a melodia de sua voz.

Ela vive nos rios amazônicos, admirando-se no reflexo das águas e se penteando com um pente de ouro.

História da Iara

Conta-se que Iara era uma indígena, filha do cacique da tribo. O orgulho que seu pai sentia por ela gerou em seus irmãos uma inveja assassina. Precavendo-se da ira dos irmãos, ela os matou primeiro e fugiu para as matas.

O pai a encontrou e, como punição, resolveu lançá-la ao rio. Entretanto, os peixes a salvaram e transformaram em uma sereia.

Então, Iara passou a habitar a beira dos rios, seduzindo homens com seu lindo canto a fim de afogá-los.

Aqueles que conseguem escapar dos encantos de Iara enlouquecem e apenas o Pajé pode livrá-los da maldição.

A lenda também afirma que Iara pode se transformar numa linda mulher quando quer se afastar das águas.

Veja também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.