Origem do Carnaval – A história do carnaval no Brasil e no mundo

Embora o Brasil seja considerado o país do carnaval, acredita-se que a festividade teve origem na Babilônia. No cenário nacional, o seu início está relacionado ao entrudo.

0

Apesar do Brasil ser considerado o país do carnaval, ele não é o único a realizá-lo. Outros locais, como as cidades de Barranquilla (Colômbia), Ilhas Canárias (Espanha), Nice (França), Nova Orleans (EUA), Oruro (Bolívia) e Veneza (Itália) também celebram a festa.

Desde a chegada dessa festividade em território brasileiro, os africanos escravizados e os servos encontraram nela uma forma de se divertir naquele período. Posteriormente, “pular carnaval” passou a ser uma prática fundamental da cultura nacional.

Contudo, a origem do carnaval no mundo está vinculada à Antiguidade, na Mesopotâmia, Grécia e Roma.

Com origem no termo em latim carnis levale, carnaval significa “retirar a carne”. Portanto, a sua tradução é próxima ao jejum executado na Quaresma, além do controle dos prazeres mundanos. Assim, notamos o esforço da Igreja Católica em moldar a festa pagã.

Origem do carnaval no mundo

Segundo historiadores, a origem do carnaval se deu na Babilônia, por meio da celebração das Saceias. Esta era uma festividade em que era permitido um prisioneiro usufruir do status de rei por um certo período. Após essa cortesia, ele seria morto.

No templo de Marduk, ainda na Babilônia, existia uma celebração para demonstrar o quão inferior era o rei diante da figura divina. Na ocasião, ele sofria agressões e humilhações.

Entretanto, alguns estudiosos creem que a festa do carnaval começou na Grécia, aproximadamente em 600 a.C.

Além dessas teorias, há suspeitas do seu nascimento na Saturnália, em Roma, quando as pessoas utilizavam máscaras, faziam brincadeiras, comiam e bebiam.

Porém, com a popularização do cristianismo, a festa recebeu outro significado. Começou, então, a tradição de abdicar do alimento da carne, 40 dias antes da Páscoa, intervalo que ficou conhecido como Quaresma, um tempo de reflexão sobre o sofrimento pelo qual Jesus passou.

Origem do carnaval no Brasil

A origem do carnaval no Brasil está associada ao entrudo, festa popular que os portugueses trouxeram para o nosso território. De modo geral, o entrudo era uma brincadeira na qual as pessoas jogavam água, farinha, ovos e tintas umas nas outras.

Na ocasião, os africanos escravizados se alegravam ao som dos batuques da África, em sincronia com a música portuguesa. Dessa mescla, nasceria as marchinhas de carnaval e o samba, além de outros gêneros musicais.

O entrudo no Brasil
Cena de Carnaval (Jean Baptiste Debret)

Contudo, já no início do século XX, a prática do entrudo foi censurada. O intuito da proibição era civilizar a festa do carnaval.

Então, a elite do país começou a incorporar o modelo de carnaval de Paris e Nice, aderindo aos confetes, buquês de flores e serpentinas.

Além disso, os moradores de Recife, Rio de Janeiro e Salvador, com maior poder aquisitivo, desfilavam com os seus carros, distribuindo os itens citados acima para todo o público.

A prática permaneceu até os anos 1930, quando encerraram a fabricação de automóveis conversíveis e houve a popularização dos veículos. Assim, as classes populares também puderam participar da festa.

As marchinhas de carnaval

As marchinhas de carnaval surgiram após a criação do chorinho, gênero musical tipicamente brasileiro que fazia a releitura de arranjos europeus.

As marchinhas eram um gênero musical similar às marchas militares, só que com maior rapidez e textos com dupla interpretação.

Em síntese, as letras das marchinhas traziam reflexões do contexto social, político e do cenário geral brasileiro.

Atribui-se a composição de Chiquinha Gonzaga, “Ó Abre Alas”, redigida em 1899, o título de primeira marchinha de carnaval.

Depois, nasceram os cordões, os ranchos e as sociedades carnavalescas, que representavam os grupo de foliões que transitavam pela cidade tocando as marchinhas e animando o festejo.

Ademais, mediante a disseminação do rádio, as marchinhas puderam chegar à casa das pessoas. Muitos são os cantores que as criaram, entre os nomes mais conhecidos estão Carmem Miranda e Francisco Alves.

Carmen Miranda e as marchinhas
Carmem Miranda

Com a popularização do rádio, os filmes musicais também levaram as marchinhas de carnaval para os seus enredos, com as narrativas das chanchadas. As chanchadas eram designadas como comédias musicais carnavalescas.

Nos anos 1960, as marchinhas carnavalescas deram lugar ao samba-enredo.

Curiosidades sobre o carnaval

  • No ano de 1892, o Ministério do Interior quis alterar o mês de realização do carnaval para junho. O principal argumento para a mudança era por ser inverno e o clima estar mais fresco, isso ocasionaria um melhor aproveitamento e conforto aos carnavalescos. Entretanto, a ideia não foi para frente e as pessoas acabaram celebrando a festa duas vezes naquele ano.
  • Em 1933 foi realizada a primeira eleição do Rei Momo, sendo escolhido o cantor e compositor carioca Sílvio Caldas. O concurso contou com a organização do jornal carioca A Noite.
  • O Congresso das Sumidades Carnavalescas foi o primeiro bloco carnavalesco brasileiro. Criado no Rio de Janeiro, em 1855, o bloco contou com o escritor José de Alencar como um de seus fundadores.
  • O Galo da Madrugada, bloco de Recife (PE), foi eleito, em 1995, pelo Guinness Book, como o maior bloco de carnaval do mundo.

Veja também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.