Qual a importância do Sol para os seres vivos?

Saiba porque os seres vivos não conseguem viver sem o Sol!

0

É inquestionável a importância do Sol para a vida dos seres vivos, já que ele é a maior fonte de calor existente no nosso planeta.

A energia luminosa proveniente do Sol é parte fundamental para que os seres vivos autótrofos consigam realizar a fotossíntese.

No processo de fotossíntese, esses seres vivos produzem glicose e liberam oxigênio para a atmosfera terrestre.

Os organismos fotossintetizantes são classificados como produtores, pois são a base das cadeias alimentares dos seres vivos.

Sendo assim, a base de todo ecossistema depende diretamente do Sol para continuar existindo, e, consequentemente, todos os outros seres vivos dependem dos seres fotossintetizantes.

A energia solar também é importante fonte de calor que catalisa outras reações químicas, além das fotossintéticas.

Por exemplo, acelera quebra de moléculas de proteínas e mantém o calor do corpo de animais como peixes, anfíbios e répteis, fazendo com que o metabolismo deles continue ativo.

Além de tudo isso, o Sol é parte importante para o ciclo da água: o calor da luz solar faz com que a água de rios, lagos e mares evapore e volte para a atmosfera em forma de vapor, para, depois, precipitar em forma de chuva.

Qual a importância do Sol para a saúde dos humanos?

Os vegetais são seres autotróficos e parte importante da alimentação dos humanos.

Além disso, o Sol traz muitos benefícios para a saúde dos humanos, já que ele contribui para a síntese e absorção de muitas vitaminas, como a vitamina D.

Acredita-se que se expor ao Sol antes das 10h e depois das 16h pode ajudar a aumentar o bem-estar, diminuir episódios de depressão e outras doenças que afetam o psicológico.

O Sol também é importante para a incorporação do cálcio aos ossos humanos, portanto, é importante que crianças e idosos, principalmente, tomem Sol todos os dias.

Quanto mais Sol melhor?

Apesar do Sol ser extremamente importante para os seres vivos, inclusive para os humanos, o excesso de luz solar também pode fazer mal.

A luz solar emite dois tipos de radiação ultravioleta chamadas de UVA e UVB, e o excesso desses raios pode ser muito prejudicial para os seres vivos.

A diferença entre UVA e UVB são os comprimentos de onda emitidos por cada um deles, por isso, os organismos vivos absorvem a radiação de formas diferentes.

Algumas plantas não suportam exposição solar direta e necessitam de sombra para não se queimar.

Nos humanos, os raios UVA são absorvidos por camadas mais internas da pele, e os raios UVB, pelas mais externas.

Os raios UVB conseguem atravessar a barreira das nuvens e, mesmo em dias nublados, é necessário tomar cuidado com atividades ao ar livre, pois a pele pode se queimar mesmo com exposição indireta.

Exposição ao Sol – Orientações saudáveis

Já vimos que se expor ao Sol de forma excessiva não é uma boa ideia. Para fazer isso com segurança é necessário seguir algumas dicas:

  • Evite se expor entre as 10 e 16 horas.
  • Use sempre filtro solar.
  • Use óculos de sol para proteger suas retinas das radiações solares.
  • Superfícies como areia, água, cimento e neve são refletoras, por isso, nesses locais deve-se usar protetor solar e óculos de sol mesmo em dias nublados e frios.
  • Não use bronzeadores sem filtro solar.
  • Não faça receitas caseiras para utilizar como bronzeadores.
  • Mantenha-se sempre hidratado.

Veja também:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.