Geografia do Espírito Santo

O estado do Espírito Santo faz parte da região sudeste. Vitória é vista como Ilha do Mel e é a terceira capital mais antiga no país.

0

O Espírito Santo é uma das 27 unidades federativas do Brasil, sendo considerado o 23º no ranking nacional de área territorial. Com uma área de 46.074,444 km², o estado perde apenas para o Distrito Federal, Sergipe, Alagoas e Rio de Janeiro.

A sua capital é Vitória, um arquipélago constituído de 33 ilhas e com uma porção continental, em que engloba 93,38 km².

Além da sua capital, o estado contém outras cidades notórias, tais como Aracruz, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Guarapari, Linhares, São Mateus, Serra e Vila Velha.

Os nascidos no estado são denominados capixabas.

Características geográficas

Situado na região Sudeste do Brasil, o estado do Espírito Santo é limítrofe ao estado da Bahia, ao norte; com o Rio de Janeiro, ao sul; e com Minas Gerais, ao oeste; ao leste é banhado pelo Oceano Atlântico.

Mapa do Espírito Santo

Localizado no sul da Linha do Equador e ao oeste do Meridiano de Greenwich, o seu fuso horário é três horas inferior a hora mundial, Greenwich Mean Time (GMT).

O Espírito Santo é composto por 78 municípios. Esses são fragmentados em quatro mesorregiões e 13 microrregiões.

Mesorregiões do Espírito Santo

As mesorregiões são:

Central espírito-santense

  • Vitória
  • Afonso Cláudio
  • Guarapari
  • Santa Teresa

Litoral norte espírito-santense

  • Linhares
  • Montanha
  • São Mateus

Noroeste espírito-santense

  • Barra de São Francisco
  • Colatina
  • Nova Venécia

Sul espírito-santense

  • Alegre
  • Cachoeiro do Itapemirim
  • Itapemirim

Clima do Espírito Santo

O clima tropical úmido é o tipo de clima do Espírito Santo. Ao longo do ano, a temperatura média é de 23º C com volume de precipitação superior a 1.400 mm, principalmente no decorrer da estação do verão.

Relevo do Espírito Santo

O relevo do Espírito Santo compreende duas regiões naturais distintas: o litoral (extensão de 400 km) e o planalto.

As formações naturais de maior relevância são três: o tabuleiro costeiro, a região serrana e a planície costeira.

Grande parte de seu território, ao longo da costa Atlântica, localiza-se uma faixa de planície que representa 40% da área total do Estado. A formação caracteriza as cidades litorâneas, sendo Vitória e Vila Velha as principais.

Ao passo em que se penetra em direção ao interior, o planalto dá vez a região serrana, especialmente nos limites entre Minas Gerais e o Rio de Janeiro, com altitudes superiores a 1.000 metros.

No local se eleva a Serra do Caparaó ou da Chibata, além do Pico da Bandeira, o terceiro mais alto do Brasil e o mais alto do Estado, com 2.890 metros de altura.

Pico da bandeira

Agora, o tabuleiro costeiro está situado entre as duas regiões e com altitudes baixas, aproximadamente até 45 metros, sendo que a sua constituição é de sedimentos continentais de formação de barreiras.

Recursos naturais do Espírito Santo

Muitos são os recursos naturais do Espírito Santo para estimular a visitação dos turistas.

A Ilha do Mel, em Vitória, a Praia de Camburi, Curva de Jurema e a Vilha Velha são só alguns deles.

Hidrografia do Espírito Santo

Entre os rios presentes no Espírito Santo, o Rio Doce é o mais relevante. Com seus 853 km de extensão, ele nasce em Minas Gerais e deságua no Oceano Atlântico, na cidade de Linhares.

Outros rios importantes fazem parte da região, como os rios Itabapoana, o Itapemirim, o Itaúnas, o Jucu, o Santa Maria da Vitória e o São Mateus.

Na cidade de Linhares há 69 lagoas, constituindo o maior complexo lacustre da região Sudeste. Sendo que a mais conhecida delas é a Juparanã, com 38 km de extensão.

Juparanã é a maior lagoa do território brasileiro em volume de água doce e a vice em extensão.

Lagoa Juparanã

Vegetação do Espírito Santo

Anterior a atuação humana, a vegetação do Espírito Santo era praticamente coberta pela floresta tropical, a Mata Atlântica.

A vegetação é excelente para manutenção da biodiversidade, com uma grande variedade de espécies da fauna e flora.

Nos dias atuais, menos de 15% de sua vegetação original pode ser observada, principalmente decorrente das ações extrativistas. Contudo, o governo tem investido na preservação e no reflorestamento.

Em síntese, a sua vegetação é constituída pela floresta tropical e vegetação litorânea.

Flora do Espírito Santo

Na flora do Espírito Santo há uma diversidade de plantas, tais como abricó-do-nativo, araçatuba, bicuíba, braúna, bromélias, cipós, jacarandá, jaúna, lianas, orquídeas, palmeiras, palmito-doce, peroba amarela, sucupira e tambor.

Fauna do Espírito Santo

Muitos são os animais que compõem a fauna do Espírito Santo. Entre a lista de espécies estão: beija-flor, capivara, guariba, jaó-do-litoral, lagarto-de-linhares, mutum-do-sudeste, onça-parda, paca, papagaio-do-espírito-santo, sagui-da-terra, tartaruga-gigante e veado-cambuci.

Problemas ambientais do Espírito Santo

Os principais problemas ambientais do Espírito Santo são relacionados à poluição do ar, degradação do meio ambiente e à crise hídrica.

Com o pó preto emitido pela indústrias siderúrgicas é difícil respirar. Além disso, o desastre ambiental ocorrido com o rompimento da barragem da Samarco, na cidade de Mariana (MG), aliado ao desmatamento ocasionou em problemas ambientais para a região.

Esses problemas afetam diretamente a qualidade de vida da população. Inclusive, em 2016, a comunidade capixaba enfrentou uma grave crise hídrica, tendo até que realizar um período de racionamento de água.

Saiba mais sobre as geografias dos estados em:

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.