Qual a diferença entre Astrologia e Astronomia?

Embora utilizadas como sinônimos, a astrologia e a astronomia são bastante diferentes, e estão presentes na humanidade a muito tempo.

0

Muito se fala nos últimos anos sobre astrologia, e os estudos dos astros. Entretanto, o termo é constantemente relacionado a astronomia, e as vezes utilizado como sinônimo. Mas é preciso salientar que ambos são bastante diferentes.

Na verdade, podemos afirmar que a “base” dos conhecimentos é a mesma. Isso porque os dois estudam os corpos celestes e seus movimentos. Porém, a forma com que ambos realizam tal estudo é completamente diferente.

Astronomia

Os astros vem sendo estudados desde o inicio das civilizações. No início, como divindades, para explicar fenômenos naturais. Entretanto, o tema era de interesse de muitos filósofos gregos, como Tales de Mileto, Pitágoras de Samos até chegar a Aristarco de Samos, que foi o primeiro a apresentar a ideia de que o planeta girava em torno do sol.

De lá para cá muitos outros nomes se tornaram referência ao falar de astronomia, Como Galileu Galilei e Nicolau Copérnico. Bom, mas o que todos esses astrônomos tem em comum? Todos tinham a observação do universo como foco de pesquisa.

Nesta observação, seu objetivo eram os aspectos físicos, materiais e objetivos dos astros e estrelas presentes em todo o cosmo. Sendo assim, podemos falar que as astrônomos investigam o universo, buscam seus padrões, suas leis da física e sua química.

Desde modo, tem como objetivo de estudo planetas, asteroides, estrelas, galáxias, buracos negros e tudo que está presente no universo. Para isso, utilizam as ciências como matemática, física, química e tecnologias de observação.

É com o estudo da astronomia que conhecemos mais sobre outros planetas, galaxias, a origem do universo, e até sobre nosso próprio planeta. Portanto, o conhecimento tem caráter cientifico em suas descobertas e análises.

Astrologia

Igualmente como a astronomia, a astrologia também é estudada a milhares e milhares de anos, desde as primeiras civilizações humanas. Não se sabe ao certo sua origem, porém acredita-se que ela surgiu na antiga Mesopotâmia.

Como dito anteriormente, os estudos dos astros antes eram cheios de superstições e mitos. Naquela época, pouco se distinguia sobre astronomia e astrologia. Sendo assim, nas antigas civilizações utilizava-se da astrologia para prever catástrofes, dificuldades e demais fenômenos que podiam afetar os humanos.

Muitos antigos povos colaboraram com os estudos da arte, como os gregos, egípcios e romanos. Entretanto, independente da sociedade, todas tem algo em comum. A astrologia acredita que os movimentos e padrões celestiais não interferem só no clima e estações, mas também nos seres humanos. Sendo assim, como nos planetas, os humanos também repetiriam padrões.

Portanto, ela estuda os aspectos mitológicos e simbólicos do universo. Segundo a arte, ao nascer, o individuo reflete as características do céu naquele momento, que são incorporadas a sua personalidade. Para isso, a astrologia estuda as posições, movimentos e interatividade dos astros, como Sol, Lua, Marte, Mercúrio, Vênus, Júpiter e Saturno.

Além disso, a astrologia é baseada no zodíaco, que por sua vez é dividido em 12 signos, cada um contendo 30 graus, de acordo com a constelação. Os doze signos são:

  • Áries;
  • Touro;
  • Câncer;
  • Leão;
  • Virgem;
  • Libra;
  • Escorpião;
  • Sagitário;
  • Capricórnio;
  • Aquário;
  • Peixes.

Cada um recebe um planeta vigente e um elemento associado a ele. No estudo da astrologia ainda são levados em consideração as casas astrológicas, qualidades de cada um, graus, e a interação entre os astros no momento do nascimento. Sendo assim, este estudo funciona como um mapeamento pessoal, denominado mapa astral.

Para realizar tal mapa, é preciso ter informações sobre cidade de origem, data e hora exatas. A partir de então é conhecido os posicionamentos astrológicos de um indivíduo. Para o mapa, são analisados e calculados as posições dos planetas e astros no momento do nascimento.

Por fim, ambas tem origens bastante semelhantes. Começaram com o interesse humano em conhecer o universo. Porém atualmente se dividem entre ciência, e comprovação, com subjetividade e simbologia.

PUBLICIDADE

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.